Home Política Dilma defende direitos individuais e instituições; Lula vê ‘jogo’ de vazamentos
Reação

Dilma defende direitos individuais e instituições; Lula vê ‘jogo’ de vazamentos

Presidenta diz que repudia uso de vazamentos como arma política e que esses expedientes 'não contribuem para a estabilidade do país'. Em nota, Lula diz que sociedade 'não pode ficar a mercê desse jogo'
Publicado por Hylda Cavalcanti, da RBA
19:25
Compartilhar:   
memória/ebc
dilma_diplomatas.jpg

Dilma: “Vazamentos apócrifos, seletivos e ilegais devem ser repudiados e ter sua origem rigorosamente apurada”

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff divulgou no início da noite (3) uma nota oficial onde afirma que todas as ações do seu governo têm se pautado pelo compromisso com o fortalecimento das instituições de Estado. A nota é uma resposta da presidenta às denúncias vazadas pela revista Isto É sobre suposta delação premiada que teria sido feita pelo senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e não confirmadas pelo parlamentar. Mesmo depois da longa entrevista dada pelo advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, negando todas as denúncias, o Planalto resolveu manifestar oficialmente a posição da presidenta.

Na nota, Dilma destaca que o seu governo é marcado pelo “respeito aos direitos individuais, o combate à corrupção e a defesa dos princípios que regem o Estado democrático de Direito”. E acentua o cumprimento rigoroso do que estipula a Constituição.

Nota do Instituro Lula

São completamente falsas as acusações feitas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em matéria publicada hoje (3) pela revista Isto É.
O ex-presidente Lula jamais participou, direta ou indiretamente, de qualquer ilegalidade, antes, durante ou depois de seu governo, seja em relação aos fatos investigados pela Operação Lava Jato ou quaisquer outros citados pela revista.
A sociedade brasileira não pode mais ficar à mercê de um jogo de vazamentos ilegais, acusações sem provas e denúncias sem fundamento.

O documento segue a linha do discurso feito pela presidenta esta manhã, poucos minutos antes da divulgação das denúncias, durante a posse dos novos ministros, no qual Dilma falou sobre a importância de serem respeitados princípios constitucionais. “Em meu governo, a lei é o instrumento, o respeito ao cidadão é a norma e a Constituição é, pois, o guia fundamental de nossa atuação”, ressalta.

“Por isso, à luz de nossa lei maior defendemos o cumprimento estrito do devido processo legal. Os vazamentos apócrifos, seletivos e ilegais devem ser repudiados e ter sua origem rigorosamente apurada, já que ferem a lei, a justiça e a verdade”, diz a presidenta.

Dilma acrescenta que se há delação premiada homologada e devidamente autorizada, é justo e legítimo que seu teor seja do conhecimento da sociedade. No entanto, é necessária a autorização do Judiciário. Motivo pelo qual ela repudia o uso abusivo de vazamentos como arma política, por entender que esses expedientes “não contribuem para a estabilidade do país”.

Leia a íntegra da nota de Dilma

Nota à Imprensa

Todas as ações de meu governo têm se pautado pelo compromisso com o fortalecimento das instituições de Estado, pelo respeito aos direitos individuais, o combate à corrupção e a defesa dos princípios que regem o Estado Democrático de Direito. Nós cumprimos rigorosamente o que estipula a nossa Constituição.

Em meu governo, a lei é o instrumento, o respeito ao cidadão é a norma e a Constituição é, pois, o guia fundamental de nossa atuação.

Por isso, à luz de nossa lei maior defendemos o cumprimento estrito do devido processo legal. Os vazamentos apócrifos, seletivos e ilegais devem ser repudiados e ter sua origem rigorosamente apurada, já que ferem a lei, a justiça e a verdade.

Se há delação premiada homologada e devidamente autorizada, é justo e legítimo que seu teor seja do conhecimento da  sociedade. No entanto, repito, é necessária a autorização do Poder Judiciário.

Repudiamos, em nome do Estado Democrático de Direito, o uso abusivo de vazamentos como arma política. Esses  expedientes não contribuem para a estabilidade do País.

Dilma Rousseff

Presidenta da República Federativa do Brasil