Você está aqui: Página Inicial / Política / 2016 / 02 / PSDB: Doria e Matarazzo vão disputar 2º turno para definir candidato à prefeitura de SP

tensão no ninho

PSDB: Doria e Matarazzo vão disputar 2º turno para definir candidato à prefeitura de SP

Em meio a troca de acusações entre candidatos e cenas de agressão entre militantes, prévias tucanas comprovam que partido está dividido
por Redação RBA publicado 29/02/2016 09h54, última modificação 29/02/2016 12h19
Em meio a troca de acusações entre candidatos e cenas de agressão entre militantes, prévias tucanas comprovam que partido está dividido
reprodução/Câmara SP
Doria & Matarazzo

Disputa entre Doria e Matarazzo pela candidatura do PSDB à prefeitura de SP vai ser definida em 20 de março

São Paulo – O empresário João Doria Jr e o vereador Andrea Matarazzo vão disputar o segundo turno das prévias que definirão o candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, marcado para 20 de março. No pleito de ontem (28), Doria liderou a disputa com 2.681 votos (43,13%), seguido por Matarazzo, que obteve 2.045 votos (32,89%). O deputado federal Ricardo Tripoli ficou em terceiro, com 1.387 (22,31%), e está fora da disputa. A apuração ocorreu na Câmara Municipal de São Paulo, e o resultado saiu nas primeiras horas da manhã de hoje (29).

O primeiro turno da eleição tucana foi marcado por denúncias envolvendo os candidatos e tumultos e agressões entre correligionários seus correligionários. Em uma das sessões eleitorais, no Tatuapé, zona leste da capital, apoiadores de Doria e Tripoli se envolveram em agressões, que só terminaram com a intervenção da Polícia Militar. Na mesma sessão, houve tentativa de roubo de uma das urnas e um computador foi destruído. Em quatro seções também não houve votação eletrônica.

Ainda antes do resultado final, o ex-governador de São Paulo Alberto Goldman, que apoia Matarazzo, e José Aníbal, ex-presidente do partido e titular do Instituto Teotônio Vilela, entraram com petição para cancelar a inscrição de João Doria Jr, a quem acusam de "condutas ilegais" em sua propaganda eleitoral, desrespeito à Lei Cidade Limpa e "abuso de poder econômico", o que impugnaria a disputa. O presidente do diretório municipal, Mario Covas Neto, na sequência, afastou a hipótese de cancelamento.

Em entrevista coletiva após a divulgação dos resultados, Doria acusou os adversários de tentarem usar o "tapetão" para vencer a disputa. Por sua vez, Matarazzo respondeu afirmando que o empresário quer ganhar a eleição com "o poder econômico e na mão grande". A declaração provocou novo princípio de tumulto entre os militantes que acompanhavam a apuração na Câmara Municipal.

Doria conta com o apoio do governador Geraldo Alckmin, mas sua vitória na próxima etapa das prévias tucanas deverá ser dificultada pelas demais lideranças tucanas. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-governador José Serra devem confirmar apoio a Matarazzo, um quadro tradicional do partido.