Você está aqui: Página Inicial / Política / 2015 / 12 / Adiada para hoje votação de projeto que muda meta fiscal

congresso

Adiada para hoje votação de projeto que muda meta fiscal

Oposição obstrui votação da sessão de ontem. Para líder do PT no Senado, estratégia é "irresponsável". Congresso também derrubou veto de Dilma a projeto sobre aposentadoria do servidor público
por Agência Brasil publicado 02/12/2015 08h43
Oposição obstrui votação da sessão de ontem. Para líder do PT no Senado, estratégia é "irresponsável". Congresso também derrubou veto de Dilma a projeto sobre aposentadoria do servidor público
Ananda Borges/Câmara dos Deputados/Fotos Públicas

Brasília – O Congresso Nacional adiou para hoje  (2), a partir das 12h, a votação do projeto de lei do Executivo que altera a meta fiscal para este ano. O adiamento ocorreu devido à falta de quórum em votação de proposta da oposição que pretendia inverter a pauta de votações da sessão para deixar para ontem a votação do PLN 5/15, que altera a meta fiscal.

Antes, líderes da oposição tentaram com os líderes governistas transferir a votação das alterações da meta fiscal. Como não houve acordo, a oposição propôs votação de requerimento de inversão de pauta. O quórum foi caindo, quando então o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), decidiu encerrar a sessão e convocar outra para as 12h desta quarta-feira.

Quando a sessão foi encerrada, 226 deputados tinham registrado presença no plenário e eram necessários, no mínimo 257. O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), reconheceu que não havia outra saída a não ser encerrar os trabalhos e adiar a votação.

Segundo ele, a oposição está adotando uma postura "irresponsável", pois o que está em jogo é o país e não o governo. "O país corre o risco de paralisar se não for votado o projeto de alteração da meta nesta semana", disse o petista.

O líder da minoria na Câmara, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), afirmou que a oposição vai continuar obstruindo a votação do projeto que altera a meta fiscal na sessão de hoje. Segundo ele, o governo é reincidente ao não cumprir a meta fiscal, “foi assim no ano passado”. Araújo disse que a oposição vai obstruir a votação, mas sabendo que em algum momento o governo vai aprovar a matéria, porque tem votos para isso.

A aprovação do projeto de alteração da meta fiscal permite ao governo fechar 2015 com déficit primário de até R$ 119, 9 bilhões.

Aposentadoria

Na sessão conjunta de ontem, o Congresso Nacional derrubou, em votação nominal, o veto presidencial ao projeto de lei complementar que regulamenta a aposentadoria compulsória no serviço público da União aos 75 anos de idade, com proventos proporcionais para todos os servidores públicos da União.

Apresentado pelo senador José Serra (PSDB-SP), o projeto regulamenta a chamada PEC da Bengala, aprovada pelo Congresso, que permitiu a aposentadoria para ministros de tribunais superiores e do Tribunal de Contas da União aos 75 anos.

Como o projeto teve origem no Senado, a votação do veto começou pelos senadores. Foram 64 votos pela derrubada e 2 pela sua manutenção. Na votação na Câmara, foram 350 votos contra 15. O veto da presidenta Dilma Rousseff foi para todo o projeto. Com a derrubada do veto total, a decisão será comunicada ao governo e o projeto será promulgado.

A derrubada do veto se deu graças a acordo firmado entre a oposição e a base governista. Desde ontem (30), os governistas vinham afirmando que os líderes da base aliada iriam liberar suas bancadas na votação.

Deputados e senadores também mantiveram os vetos presidenciais aos projetos de lei que tratam sobre benefício tributário para o turismo rural e do benefício a policiais no Minha Casa, Minha Vida.