Desfalque

Molon deixa PT por ‘discordar de caminhos escolhidos pelo partido’

Parlamentar anunciou ontem que deixa partido pelo qual militou por 18 anos e vai para a Rede Sustentabilidade, onde pode acertar sua candidatura para a prefeitura do Rio em 2016

Gustavo Lima/Câmara dos Deputados
Alessandro Molon

Parlamentar sai da legenda pela qual militou por 18 anos: “Um dos dias mais difíceis da minha vida”

São Paulo – Em texto publicado em sua página no Facebook, o deputado federal do Rio de Janeiro Alessandro Molon disse que sua decisão de deixar o PT “foi amadurecida por muita reflexão e sofrimento”. O parlamentar surpreendeu o meio político ao anunciar, ontem (25), sua desfiliação da legenda depois de 18 anos de militância no partido. Ele está entrando na Rede Sustentabilidade, o partido de Marina Silva, registrado oficialmente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 22.

“Hoje foi, sem dúvida alguma, um dos dias mais difíceis da minha vida. Depois de 18 anos filiado ao Partido dos Trabalhadores, pedi a minha desfiliação”, disse Molon na rede social. “Foram anos de luta por mudanças de rumos no partido. No 5º Congresso do PT, realizado em junho passado (em Salvador), fiz, ao lado de mais 34 deputados federais da bancada, minha última tentativa. Propusemos uma série de mudanças ao PT. Nenhuma foi aceita. No Rio de Janeiro, minha posição contrária aos caminhos escolhidos pelo partido é velha conhecida de todos. E tudo indica que os rumos continuarão os mesmos.”

Ao citar o Congresso do partido em Salvador e seu estado na carta publicada no Facebook, Molon dizia que estava descontente com os rumos do partido em âmbito nacional e regional. Em seu estado, sua insatisfação tem relação com o “namoro” entre o PT e o PMDB do governador fluminense Luiz Fernando Pezão. O agora ex-petista chegou a declarar que o PT estaria “se rendendo ao PMDB” no RJ.

O deputado passa a ser agora um nome forte para concorrer à prefeitura do Rio em 2016 pela Rede Sustentabilidade.

Ele afirma que escolheu continuar a “caminhada” na Rede Sustentabilidade, “partido ao qual me filiei cheio de energia para colaborar em sua construção e manter vivos os sonhos que me trouxeram à política”.

Diz ainda que continuará defendendo as bandeiras de sempre, como “a luta pelo fortalecimento da democracia, pela justiça social e pelo desenvolvimento sustentável”. Seu trabalho inicial no novo partido começa “pelo fortalecimento de nossa democracia e pelo respeito à Constituição, ambas tão atacadas ultimamente”, declarou.