Você está aqui: Página Inicial / Política / 2015 / 08 / Dilma diz que ajuste fiscal não vai prejudicar programas sociais

Em Pernambuco

Dilma diz que ajuste fiscal não vai prejudicar programas sociais

Ao inaugurar trecho do Projeto de Integração do Rio São Francisco, em Cabrobó, presidenta lembrou que oposição apostou no fracasso da obra: "Muita gente falava que não sairia do papel. Pois saiu"
por Redação RBA publicado 21/08/2015 16h39
Ao inaugurar trecho do Projeto de Integração do Rio São Francisco, em Cabrobó, presidenta lembrou que oposição apostou no fracasso da obra: "Muita gente falava que não sairia do papel. Pois saiu"
Roberto Stuckert Filho/PR
di.jpg

Dilma participou da entrega da Estação de Bombeamento EBI-1, do Projeto de Integração do Rio São Francisco

São Paulo – A presidenta Dilma Rousseff entregou hoje (21) a primeira estação de Bombeamento (EBI-1) do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF), em Cabrobó (PE), no sertão de Pernambuco. Ela disse que o ajuste fiscal não vai prejudicar programas sociais de seu governo. “Nós não vamos apertar o cinto nos programas que são essenciais para este país seguir em frente”, disse, em entrevista à rádio Grande Rio, de Pernambuco.

A presidenta afirmou que a oposição errou ao apostar no fracasso das obras. “A pior crítica que o projeto recebeu é que não existia. Isso, hoje, vemos que não é verdade”, afirmou à rádio.

No discurso que proferiu na cerimônia de inauguração da obra, insistiu na defesa do projeto. “Muita gente falava que não sairia do papel. Pois saiu.” Ela admitiu os problemas na economia, mas fez uma analogia com a obra inaugurada para dizer que eles serão superados. “Temos dificuldade? Temos, sim. Ninguém tem de tapar o sol com a peneira. Mas achar que está tudo ruim não é a forma pela qual a gente constrói canal. A gente constrói canal encarando a dificuldade de frente e ultrapassando a dificuldade com muita água, com muita força no coração e com muita esperança.”

Dilma disse também que a transposição é uma demanda antiga dos nordestinos. “Essa obra foi concebida por Dom Pedro II há 150 anos e agora é uma realidade”, lembrou. Ela mencionou seu antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como o responsável pela “vontade política” de realizar o projeto. “Foi preciso que um nordestino fosse eleito presidente, que tivesse sido praticamente expulso de sua casa e tivesse ido para São Paulo e soubesse o preço, o custo em termos de vida, em termos de perspectiva de futuro e esperança, que a seca impunha para a população do Nordeste.”

A estação inaugurada levará a água, por 45,9 quilômetros, ao reservatório de Terra Nova, em Cabrobó. A previsão é de que o Projeto de Integração do Rio São Francisco garantirá fornecimento de água a 12 milhões de pessoas em 390 municípios de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O projeto prevê 477 quilômetros de extensão e sua conclusão é esperada para o início de 2017.

Antes, ainda na entrevista à rádio Grande Rio, Dilma desmentiu que o ajuste fiscal esteja provocando uma crise no sistema de educação do estado de Pernambuco, especificamente na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). “O governo viabilizou, em 2015, 906 mil alunos novos nas universidades . Não concordo que há uma crise nesta área. O Brasil não tinha 1 milhão de estudantes universitários entrando por ano em momento algum da nossa vida.”

Segundo ela, no caso específico da Univasf, este ano, mesmo com o ajuste fiscal, os recursos de custeio para a universidade chegam a R$ 31 milhões e que o governo está atento à greve na instituição. “Garantimos R$ 9,2 milhões para investimentos. O governo está negociando com os funcionários.”

Com informações da Agência Brasil

registrado em: ,