Você está aqui: Página Inicial / Política / 2015 / 05 / Deputados paulistas se reúnem com diretoria da Fundap nesta quarta-feira

gestão tucana

Deputados paulistas se reúnem com diretoria da Fundap nesta quarta-feira

Entidade é objeto de projeto de lei do governador Geraldo Alckmin, que pretende extingui-la, assim como o Cepam, para cumprir metas de redução de despesas
por Redação RBA publicado 12/05/2015 17h51, última modificação 12/05/2015 18h44
Entidade é objeto de projeto de lei do governador Geraldo Alckmin, que pretende extingui-la, assim como o Cepam, para cumprir metas de redução de despesas
Divulgação
Poupatempo

Poupatempo é um dos projetos bem sucedidos desenvolvidos pela Fundap no estado de SãoPaulo

São Paulo – A Frente Parlamentar em Defesa dos Institutos Públicos de Pesquisa e das Fundações Públicas do Estado de São Paulo, da Assembleia Legislativa, vai se reunir nesta quarta-feira (13) com a diretoria executiva da Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), para debater a situação da instituição.

A Fundap, assim como o Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal (Cepam), pode ser extinta. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) enviou dois projetos de lei (PLs 38 e 39, de 2015) propondo acabar com ambos. Os projetos estão na ordem do dia.

O anúncio da reunião foi feito pelo deputado Carlos Neder, coordenador da frente, em sessão realizada hoje na Assembleia, que teve a presença de representantes de institutos de pesquisa e fundações estaduais. "Embora o foco na reunião seja a Fundap, o debate ali será importante também para os demais órgãos", disse Neder. O deputado Davi Zaia (PPS), vice-coordenador da frente parlamentar e ligado ao governador, deve participar da reunião.

Entre suas atividades, a Fundap oferece apoio especializado a instituições interessadas em desenvolver estruturas, atividades e pessoal para a modernização do serviço público. O Poupatempo é um dos projetos bem sucedidos desenvolvidos pela entidade.

Servidores da Fundap e do Cepam têm se mobilizado para tentar inviabilizar os projetos do governo, que justifica a proposta de extinção como necessária para cumprir metas de redução de despesas de custeio e de reorganização no âmbito da administração direta e indireta do estado.

Com Agência de Notícias da Assembleia Legislativa de SP

Leia mais: