comissão especial

Deputados do Paraná aprovam fim do ‘tratoraço’ na Assembleia

Mecanismo era utilizado para aprovar projetos sem a devida apreciação pelas comissões específicas e foi estopim de protesto que levou à ocupação da Casa por professores e demais servidores estaduais

Joka Madruga/APP-Sindicato
Alep

Há três semanas, manifestantes ocuparam a Assembleia para barrar ‘pacotaço’ com cortes em direitos dos servidores

São Paulo – Os deputados estaduais aprovaram ontem (4) em sessão plenária na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), por decisão unânime, o fim do sistema que permite a transformação do Plenário em Comissão Geral. Conhecida como “tratoraço”, o mecanismo permitia a análise de propostas em um único dia sem debate prévio nas comissões específicas.

A derrubada do “tratoraço” era aguardada com expectativa pelos professores do ensino público paranaense, em greve há cerca de um mês, contra o desmanche do setor sob a gestão de Beto Richa (PSDB)

Recentemente, o dispositivo vinha sendo utilizado como forma de aprovar, a toque de caixa, o pacote proposto pelo governador Beto Richa (PSDB) com cortes nos benefícios dos servidores e mudanças na previdência, que levou à insurgência de funcionários, os professores da rede estadual em especial, e culminou com a invasão da Alep por manifestantes que tentavam barrar a votação das medidas.

“Finalmente nós vamos eliminar uma trava ao debate das propostas e que somente existia na Assembleia do Paraná”, comemorou o deputado Tadeu Veneri (PT), líder da Oposição.

O presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), aproveitou para dizer que a decisão do plenário demonstra que os deputados estão em sintonia com as reivindicações dos cidadãos.

O projeto ainda precisa passar por mais duas votações para ser aprovado em definitivo.

Leia também

Últimas notícias