Prefeitura de SP

Padilha e Suplicy tomam posse no secretariado de Haddad

Solenidade dá sequência à reformulação da equipe do prefeito com vistas a reforçar a gestão para 2016; ministros acompanham

Dário Oliveira/Folhapress

Suplicy, o agora colega de pasta Sottili e a vice-prefeita Nádia Campeão. Abaixo, Haddad recebe Padilha

São Paulo – A prefeitura de São Paulo recebe hoje (2) dois novos secretários, como parte da política de reformulação da equipe promovida pelo prefeito Fernando Haddad (PT) desde o início do ano. São empossados o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, como titular da Secretaria Municipal de Relações Governamentais (no lugar de Paulo Frateschi), e o ex-senador Eduardo Suplicy na Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, em lugar de Rogério Sottili, que segue como adjunto e com papel importante na execução das políticas da pasta.

No discurso de posse, Padilha citou o filósofo italiano anti-fascista Norberto Bobbio, a professora da USP e fisólofa Marilena Chauí (crítica ácida do conservadorismo e do individualismo de parte da classe média paulistana), o ativista cultural Sergio Vaz (articulador do Sarau do Binho, na periferia da zona sul) e Criolo, que se projetou como rapper pelo teor social e qualidade poética de suas músicas e hoje é um dos nomes mais populares da música brasileira.

Candidato derrotado ao governo de São Paulo em outubro, e com atuação elogiada como ministro da articulação política do final do governo Lula, Padilha afirmou que terá “humildade para ouvir e conversar, paciência para dialogar”. Mas ressalvou que também é “bom de briga”.

Na mesma linha de aparente ofensiva da administração Haddad para ampliar canais de interlocução com a complexa composição social e política da cidade, Suplicy sinalizou para um papel mais político no comando de uma pasta importante, elogiada pelo trabalho agregador de Sottili em torno de demandas de diversos grupos sociais com atuação no campo dos direitos humanos: “Quero estar sempre à disposição dos movimentos sociais, da população de rua, do Movimento Passe Livre”, disse.

Sottili enfatizou que as políticas públicas de direitos humanos “têm poder transformador”. Ele aceitou permanecer, atuando ao lado de Suplicy, por acreditar que a chegada do ex-senador fortalecerá a pasta, que já vinha sendo bem avaliada.

Na mesa de posse, ao lado da Haddad, estão os ministros Arthur Chioro, da Saúde, e Ideli Salvatti, da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República.

 

Com informações de Vitor Nuzzi

Leia também

Últimas notícias