crise hídrica

Licitação para transposição do rio Paraíba do Sul será aberta sexta-feira

Reservatórios da bacia do Paraíba do Sul atingiram o nível mais baixo da história em janeiro deste ano: 2,6% do volume de água total

Nilton Cardin/Folhapress
paraíba do sul

Reservatório Santa Branca, na bacia do rio Paraíba do Sul, está com apenas 0,34% do seu volume útil

São Paulo – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou hoje (26) que pretende lançar até sexta-feira (30) o edital da licitação para as obras de transposição das águas do rio Paraíba do Sul, que abastece o Rio de Janeiro, para São Paulo. O objetivo é trazer cinco metros cúbicos de água por segundo, para suprir os reservatórios do Sistema Cantareira, que está em crise desde 2013 e hoje está operando com apenas 5,1% da capacidade da segunda cota do volume morto das represas.

A obra foi incluída no Programa de Aceleração do Crescimento, junto a outras sete cujo recurso foi pedido por Alckmin para a presidenta Dilma Rousseff (PT), no fim do ano passado. O empreendimento está orçado em R$ 830,5 milhões, e a previsão é de que a construção do sistema leve 18 meses. Todo o pacote de obras deve custar R$ 3,5 bilhões.

O projeto, no entanto, ainda deve ser aprovado pelo conselho administrativo da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp), o que já é dado como certo pelo governador. “(A transposição) deve ser aprovada pelo conselho na Sabesp na quinta-feira (29), e na sexta, já deve estar lançado o edital. É uma obra histórica porque você interliga bacias hidrográficas, e uma ajuda a outra, e você diminui a vulnerabilidade”, disse Alckmin.

O sistema prevê trazer a água do rio Paraíba do Sul para a represa de Jaguari e a interligação dela com o reservatório de Atibainha, de forma que a água possa ser passada de uma para a outra de acordo com a subida ou descida dos níveis.

O volume de água retirado é relativamente pequeno perto do volume do rio. São cinco metros cúbicos por segundo desviados, em 200 metros cúbicos por segundo de vazão. Porém, os quatro reservatórios do sistema de abastecimento do Paraíba do Sul chegaram ao nível mais baixo da história em janeiro, segundo relatório da Agência Nacional de Águas (ANA): 2,6%.

O rio Paraíba do Sul abastece 10 milhões de pessoas no Rio de Janeiro e na região de São José dos Campos, em São Paulo.

Alckmin também anunciou que a retirada de água do Sistema Alto Tietê deve ser aumentada em 0,5 metro cúbico por segundo ainda esta semana. E está em obras mais um aumento na retirada de água da represa Billings para abastecer parte da demanda antes atendida pelo Cantareira. Mas esta medida ainda não tem data para começar. O reservatório Billings já teve aumento de dois metros cúbicos por segundo na retirada de água desde o início da crise.

Leia também

Últimas notícias