Você está aqui: Página Inicial / Política / 2015 / 01 / Ao tomar posse pela quarta vez, Alckmin cita Mário Covas

São Paulo

Ao tomar posse pela quarta vez, Alckmin cita Mário Covas

Governador reeleito destaca melhoria nas finanças do estado
por Marli Moreira, da Agência Brasil publicado 01/01/2015 13h40, última modificação 01/01/2015 13h41
Governador reeleito destaca melhoria nas finanças do estado
Bruno Santos/ A2 FOTOGRAFIA/fotos públicas
alckmin

Tucano foi reeleito em 2014, com 57,31% dos votos válidos, recebendo 12,2 milhões de votos

São Paulo – Na sessão de posse, hoje, pela manhã, no Palácio 9 de Julho, na sede da Assembleia Legislativa de São Paulo, no Ibirapuera, o governador Geraldo Alckmin destacou avanços no saneamento das finanças do estado e  investimentos – que somaram R$ 74 bilhões – nos últimos quatro anos, com destaque em transporte, saúde e educação.

Em seguida, fez uma comparação com a Argentina. Disse que a Argentina tinha, há 20 anos, o mesmo Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de São Paulo. Hoje, disse o governador, São Paulo tem o dobro do PIB do país vizinho: US$ 800 bilhões.

Após passar em revista as tropas do lado de fora do prédio, o governador e comitiva seguiram para o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para o ato de posse dos 25 secretários que comporão a nova equipe de governo.

Ele encerrou o seu pronunciamento fazendo uma homenagem ao ex-governador Mário Covas, morto em 2001, quando Alckmin ocupava o cargo de vice-governador. O governador repetiu uma frase de Mário Covas: “São Paulo não pode esperar um dia, um minuto, para oferecer ao país sua parcela de luta. São Paulo nunca vai virar as costas ao Brasil”.

Esta é a quarta vez que Geraldo Alckmin assume o comando do executivo estadual. A primeira foi em 2001, quando substituiu Mário Covas. Em 2002, foi eleito para o cargo, mas não chegou cumprir o mandato, afastando-se, em 2006, para disputar a Presidência da República. Em 2010, conseguiu novamente ser conduzido ao cargo. Foi eleito em 2014, com 57,31% dos votos válidos, recebendo 12,2 milhões de votos.

Alckmin é médico e atua na vida política desde os 19 anos.