Câmara

Conselho de Ética instaura processo contra Bolsonaro na terça

reprodução (detalhe) Página em rede social recolhe assinaturas de apoio a cassação de mandato de Bolsonaro São Paulo  – O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara marcou para […]

reprodução (detalhe)
bolsonaro.jpg

Página em rede social recolhe assinaturas de apoio a cassação de mandato de Bolsonaro

São Paulo  – O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara marcou para terça-feira (16) reunião para instaurar o processo contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). Durante a reunião, será definido o relator, a  partir de uma lista tríplice, da representação solicitada porPT, PCdoB, PSB e Psol contra o deputado, por quebra de decoro parlamentar. Na última quarta-feira (10), Bolsonaro afirmou, da tribuna do Plenário da Câmara, que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS), ex-ministra da Secretaria de Direitos Humanos, porque ela “não merecia”.

A reação foi imediata. Os partidos pedem a cassação do atual mandato do parlamentar. Na internet, uma petição com mais de 130 mil assinaturasdefende a perda do mandato de Bolsonaro, reeleito em outubro deste ano para o sétimo mandato.

O deputado negou que tenha feito apologia ao crime de estupro. Segundo Bolsonaro, a declaração fez referência a uma situação vivida em 2003. “Fui convidado para uma entrevista, porque tenho proposta de redução da maioridade penal. E ela (Maria do Rosário) interrompeu e começou a me ofender. Em dado momento, ela me chamou de estuprador e eu dei o troco nela. ‘Não sou estuprador. Se fosse, não estupraria você, porque você não merece’. A confusão se instalou”, relembrou.

Na quinta passada (11), a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli Salvatti, entregou pedido de representação contra Bolsonaro à vice-procuradora da República, Ela Wiecko.

Com informações da Agência Câmara