Presenças

Políticos se despedem de Eduardo Campos em Recife

Passaram pelo velório, a presidenta Dilma Rousseff, Aécio Neves, o ex-presidente Lula e a ex-ministra Marina Silva, que deve substituir Campos na eleição presidencial

Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Lula e Renata Campos

Visivelmente emocionado, Lula abraçou a viúva de Eduardo, Renata Campos, e cada um dos filhos do ex-governador

Recife – Os principais candidatos às eleições presidenciais de outubro, a presidente Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), se despediram neste domingo em Recife de Eduardo Campos, que morreu na quarta-feira (13) em um acidente aéreo.  Eles participaram de uma missa ao ar livre oficiada pelo arcebispo de Olinda e Recife, Fernando Saburido, assistida por dezenas de milhares de cidadãos, que renderam as últimas homenagens ao ex-governador de Pernambuco.

O ex-presidente Lula (PT) esteve no velório. Visivelmente emocionado, ele abraçou a viúva de Eduardo, Renata Campos, e cada um dos filhos do ex-governador, que foi ministro da Ciência e Tecnologia durante os mandatos presidenciais do petista.

A ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, candidata à vice-presidência na chapa comandada por Campos, também compareceu. Embora o anúncio ainda não seja oficial, o PSB já considera Marina como a nova candidata. Falta definir o nome do vice.

Marina Silva filiou-se ao PSB em setembro do ano passado, depois que não conseguiu registrar a tempo o próprio partido, Rede Sustentabilidade, para tentar pela segunda vez chegar à presidência, após ficar em terceiro lugar nas eleições de 2010, quando obteve 19,6 milhões de votos.

Enquanto nos círculos políticos se discute qual pode ser o efeito da entrada de Marina na corrida presidencial, no centro de Recife o clima era de comoção. Fotografias de Campos, mensagens de despedida, bandeiras do PSB e flores rodeavam o Palácio do Campo das Princesas, sede do governo de Pernambuco, onde foi velado o corpo do candidato, assim como do jornalista Carlos Percol e do fotógrafo Alexandre Severo, que estavam na aeronave no momento do acidente ocorrido em Santos.

De acordo com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), a fila para aproximar-se do caixão de Campos superava os três quilômetros de extensão. O sepultamento ocorrerá ainda nesta tarde. Campos será enterrado ao lado do avô. Miguel Arraes, reconhecido líder de esquerda, que morreu em 13 de agosto de 2005, exatamente nove anos antes que o neto.