Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 11 / Dilma vai precisar costurar coalizão, diz cientista político

Dilma vai precisar costurar coalizão, diz cientista político

por Lourenço Canuto, da Agência Brasil publicado 01/11/2010 12h19, última modificação 01/11/2010 12h20

Brasília – A presidente eleita Dilma Rousseff "vai ter mais facilidade para governar" do que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, porque vai contar com maioria no Congresso Nacional, avalia o professor do Instituto de Ciências Políticas da Universidade de Brasília (UnB) David Fleischer. "A oposição dessa forma será menos radical."

A sucessora de Lula precisa contar com três quintos dos votos, em cada Casa, para aprovar mudanças de ordem constitucional, por exemplo. Fleischer destacou que Dilma vai contar com o apoio de 60% dos parlamentares no Congresso, que é o percentual previsto para a sua base aliada. Ele lembra que a presidente, no entanto, "vai ter que costurar sua coalizão, porque terá no seu governo mais parceiros para dividir o bolo".

O crescimento do PSB e o fortalecimento do PMDB, por ser o partido do futuro vice-presidente da República, Michel Temer, são questões que "terão que ser administradas no próximo governo”, na avaliação do cientista político. “Eles vão querer uma fatia maior do bolo e isso vai demandar negociações, por isso ela (Dilma Rousseff) terá que gerenciar bem essa questão."

O professor destacou que o presidente Lula "conseguiu enfraquecer a oposição" nas eleições deste ano, com a derrota de importantes figuras políticas como Tasso Jereissati (PSDB), Arthur Virgílio (PSDB), Heráclito Fortes (DEM) e Marco Maciel (DEM).

A nova situação partidária da oposição, de acordo com David Fleischer, poderá motivar a fusão do PSDB com o DEM ou a criação de legenda.

registrado em: , , , ,