Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 11 / CNBB cumprimenta Dilma e eleitos pela vitória e pede atenção às promessas de campanha

CNBB cumprimenta Dilma e eleitos pela vitória e pede atenção às promessas de campanha

por Redação da RBA publicado , última modificação 01/11/2010 15h14

São Paulo - A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota de saudação a todos políticos eleitos no primeiro e segundo turnos das eleições concluídas no domingo (31). A organização ligada à Igreja Católica cumprimentou “de maneira especial” Dilma Rousseff, candidata do PT eleita primeira mulher presidente do país. A entidade espera dela e dos demais eleitos “fidelidade no cumprimento das promessas apresentadas durante a campanha eleitoral”.

Um panfleto produzido pela Regional Sul 1 da CNBB marcou um episódio marcante da disputa. Assinado por três bispos, o material pedia que os católicos recusassem voto a candidatos e partidos que defendessem a descriminalização do aborto. O texto atribuía a Dilma e ao PT tais posições, sugerindo que a medida seria adotada em um governo comandado pela candidata. A direção da entidade, porém, desautorizou o uso do nome da CNBB, mas afirmou que os clérigos têm direito de assumir posição. A organização não assumiu posição.

Na nota desta segunda-feira (1º), a CNBB pede bênçãos aos que saem vitoriosos das urnas. “Pesa sobre os ombros de cada um dos eleitos a responsabilidade de corresponder plenamente às expectativas e à confiança, não só de seus eleitores, mas de toda a nação brasileira”, diz a carta da CNBB que pede “a intercessão de Nossa Senhora Aparecida para os que foram eleitos e para todo o povo brasileiro”.

No segundo turno das eleições, Dilma Rousseff assinou carta se comprometendo a garantir a liberdade de culto religioso e a não enviar ao Congresso Nacional projeto de lei para descriminalizar o aborto. A CNBB é historicamente contrária à descriminalização e foi uma das principais críticas à versão do terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH 3) que previa a medida.

Com informações da Agência Brasil