Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 10 / Serra se irrita com jornalista no RS e ataca imprensa

Serra se irrita com jornalista no RS e ataca imprensa

por Redação da RBA publicado , última modificação 13/10/2010 19h50

São Paulo - José Serra (PSDB), candidato à Presidência da República, irritou-se com uma pergunta sobre Paulo Vieira de Souza, ex-diretor de Engenharia da Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa). Souza dirigiu a Dersa durante a gestão de Serra à frente do governo de São Paulo. Além de não responder ao questionamento, ele criticou o jornalista autor da pergunta e acusou o jornal Valor Econômico, pertencente ao Grupo Folha e a O Globo, de estar à serviço do PT.

A declaração soma-se a uma série de bate-bocas protagonizados pelo tucano com jornalistas. Nesta quarta-feira (13), em Porto Alegre (RS), Serra saía de reunião com o candidato derrotado ao governo José Fogaça (PMDB) quando foi questionado sobre Souza, conhecido como Paulo Preto.

Inicialmente, o candidato oposicionista recusou-se a responder por considerar "um preconceito odiento (sic) se referirem a uma pessoa com este apelido". Ele disse ter considerado que a pergunta dizia respeito ao apelido e não a suas relações com o tucano acusado de ter arrecadado R$ 4 milhões para a campanha antes do período permitido pela Justiça Eleitoral e cujo destino é desconhecido.

Depois, Serra negou desvios em sua campanha e afirmou que sua concorrente, Dilma Rousseff (PT) precisaria explicar irregularidades na Casa Civil – em referência a Erenice Guerra, afastada do cargo por suposto tráfico de influência de seu filho em contratos dos Correios.

Ao falar sobre o caso, Serra voltou-se ao jornalista Sérgio Bueno do Valor Econômico, autor da pergunta sobre Souza, e disse que o veículo "não têm interesse na Casa Civil, naquilo que foi desviado e etc." O jornalista disse, a seguir, que se tratava de preconceito. Serra respondeu: "não é preconceito. Vocês fazem manchete para o PT botar no horário eleitoral".

Segundo o portal Terra, antes do encontro com Fogaça, Serra havia defendido a liberdade de imprensa. "Para nós, liberdade e democracia não são instrumento de retórica e a liberdade de imprensa é indispensável. Eu reclamo da imprensa às vezes, mas vou lutar até a morte para que sejam livres no que dizem. Democracia é respeitar aqueles que não estão de acordo", defendeu. Mesmo durante o evento, o tucano recusou-se a responder sobre Souza.

Histórico

Durante toda a campanha, Serra brigou com jornalistas. Em setembro, ele parou uma entrevista na rede CNT, por não ter gostado do questionamento feito pela apresentadora do canal, Márcia Peltier. Em sabatina a O Globo, Zuenir Ventura foi alvo do descontentamento por ter perguntado ao candidato sobre seu discurso agressivo na  campanha. Ele também acusou repórteres da TV Brasil e do sistema Radiobras de fazerem cobertura enviesada, além de Heródoto Barbeiro, então apresentador do programa Roda Viva.