Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 10 / Governo Lula foi frouxo, diz Serra

Governo Lula foi frouxo, diz Serra

Em evento com educadores em SP, candidato da oposição critica ação do governo federal em relação ao Enem
por jessicasouza publicado , última modificação 15/10/2010 17h08
Em evento com educadores em SP, candidato da oposição critica ação do governo federal em relação ao Enem

São Paulo – O candidato à presidência pelo PSDB, José Serra, acusou o governo federal de ser "frouxo", durante evento nesta sexta-feira (15) com professores na capital paulista. A crítica está relacionada ao vazamento de dados sigilosos dos inscritos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No Dia do Professor, o tucano se reuniu com cerca de 1.500 educadores da rede pública estadual.

O candidato oposicionista disse que o governo federal deixou os dados dos estudantes “reféns de bandidos e vigaristas”. Ao criticar a organização do Enem , Serra afirmou que os problemas envolvendo o exame são produto da "frouxidão" do governo Lula. "Foi frouxo esse trabalho. Não vou dizer que foi por maldade, mas houve frouxidão", acusou.

Questionado se daria continuidade ao exame, Serra disse que o Enem precisa ser refeito.  "A utilização política propagandística acabou arruinando o Enem e tornando-o um problema para os jovens. (...) Digo pela falta de planejamento, educação não se resolve com propagandismo", afirmou.

Serra acusa a educação no Brasil de estar aparelhada e citou como exemplo a multa aplicada ao Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) por propaganda eleitoral antecipada durante a greve de docentes da rede estadual. "O TSE condenou a presidente do sindicato dos professores por fazer campanha eleitoral dentro do sindicalismo, isso foi a Justiça que disse", escudou-se.

Em março deste ano, impedidos pela polícia paulista de seguir em manifestação em frente ao Palácio dos Bandeirantes, a presidente da Apeoesp, Maria Izabel Noronha, afirmou que o então governador já se sentia presidente e por isso não queria receber os professores para negociar. A repressão à mobilizações de servidores públicos foi uma marca da gestão de Serra no governo, segundo sindicalistas. Policiais disfarçados chegaram a ser infiltrados nos protestos.

No evento desta sexta na Barra Funda, havia professores de todo o estado de São Paulo, que chegaram ao local em ônibus fretados. Estavam presentes o governador e o vice-governador eleitos, Geraldo Alckmin (PSDB) e Guilherme Afif Domingos (DEM), o secretário estadual de Educação e ex-ministro Paulo Renato de Souza (PSDB) e o secretário municipal da Educação, Alexandre Schneider.