Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Prefeitos mineiros publicam carta de apoio a voto 'Dilmasia'

Prefeitos mineiros publicam carta de apoio a voto 'Dilmasia'

Endereçado ao presidente Lula, documento critica declarações do presidente no comício em Betim (MG). Petistas signatários podem sofrer sanções
por Thalita Pires, da RBA publicado 21/09/2010 20h20, última modificação 21/09/2010 20h22
Endereçado ao presidente Lula, documento critica declarações do presidente no comício em Betim (MG). Petistas signatários podem sofrer sanções

Rio de Janeiro - Um grupo de 52 prefeitos mineiros de diversos partidos publicou uma carta aberta ao presidente Lula na segunda-feira (20) em três jornais mineiros. Entre eles, há seis do PT e nove do PMDB, todos apoiam a candidatura de Dilma Roussef (PT) à Presidência. As lideranças expressam apoio ao voto conjunto em Dilma e em Antonio Anastasia (PSDB) para governador de Minas Gerais. Os prefeitos criticaram as declarações de Lula feitas no comício em Betim no dia 8.

Os prefeitos afirmam que fazem campanha para Dilma com convicção de que ela “fará muito bem ao Brasil”, mas consideram “ridículo” o duelo entre Lula e Aécio Neves (PSDB). O texto aponta que o candidato a governador Helio Costa e seu vice, Patrus Ananias, estariam incitando o confrontamento. Os signatários defendem ações de Aécio e dizem que “Minas não quer ter que escolher entre Dilma e Anastasia”.

A atitude dos prefeitos petistas desagradou a direção do partido. Os signatários da carta receberam uma notificação para explicarem o motivo do apoio a um candidato que não faz parte da chapa. As notificações vão dar origem a processos internos para apuração da conduta dos políticos, que podem ser desligados do partido.

“Eles terão amplo direito à defesa, mas a situação é complicada. Defendendo o voto em Anastasia, eles mostram que não entendem o projeto de partido”, disse o secretário geral de assuntos institucionais do PT Cristiano Tadeu da Silveira à Rede Brasil Atual.

Abaixo, a íntegra da carta:

Caro Presidente, companheiro e amigo Lula,

Causou-nos decepção e indignação, como bons mineiros, a maneira como o senhor se expressou naquele comício em Betim. Fazemos a campanha da Dilma no estado inteiro com centenas de prefeitos que são Anastasia e que, como nós, a apoiam porque ela tem mérito e brilho próprio, é mineira e fará muito bem ao Brasil.

Enfraquecidos diante do povo mineiro, os candidatos Hélio e Patrus torcem por um confronto e mesmo um duelo – ridículo – entre Lula e Aécio, trejeito absolutamente condenável para a boa gente mineira.

Expediente como esse jamais cairá bem para o misterioso e sábio povo mineiro. Eles ainda dizem em sua campanha na TV que, caso vença, o Anastasia não dará certo com a Dilma.

Outra bobagem, como se ela não pudesse governar com quem tenha vencido a eleição. Esqueceram-se do excelente relacionamento institucional do Governador Aécio com Vossa Execelência, exemplo de convivência republicana e democrática.

Nós, que somos seus companheiros, não nos esquecemos de que Aécio foi o único governador que teve a audácia de solidarizar-se com Vossa Execelência quando este atravessava o inferno zodiacal. Fomos testemunhas desse gesto feliz e sincero do nosso governador, próprio dos grandes estadistas mineiros.

Por isso, estranhamos a dureza e injustiça das suas palavras em Betim. Em Minas, não fazemos política sem memória e tratando o futuro como se ele não existisse.

Constrangem-nos o tom de ameaça que, à sua revelia, o candidato do PMDB tenta impor a Minas e a forma abusiva com que ele utiliza o seu apoio.

Minas não quer ter que escolher entre Dilma e Anastasia, da mesma forma que não escolheu entre Lula e Aécio. Minas quer o que é melhor para Minas e para o Brasil.

Minas é misteriosa, altiva e não se submete. Tem como sagrada a liberdade de transitar pelo caminho que lhe pareça mais apropriado, sem ingerências.

Podemos não ter grande poder, mas somos prefeitos que gozamos da confiança da nossa população e não temos medo de nos comprometermos e de nos expressarmos sobre aquilo que nos pareça ser de justiça. Não se trata de uma questão eleitoral.

Trata-se de uma questão política da maior importância.

Trata-se daquilo que é  maior que qualquer eleição: respeito, reconhecimento e, fundamentalmente, a independência de Minas e do direito dos mineiros de escolherem o seu destino sem as pressões e ameaças indevidas que estão sendo feitas pelo candidato do PMDB.

Seus companheiros e admiradores