Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Dilma na Rede TV!: 'Ele quer ganhar no tapetão'

Dilma na Rede TV!: 'Ele quer ganhar no tapetão'

por Redação da RBA publicado , última modificação 12/09/2010 20h35

Dilma Rousseff em debate na Rede TV! (Foto: Roberto Stuckert Filho)

São Paulo - Em debate na noite do domingo (12) promovido pela Rede TV! e jornal Folha de S.Paulo, a candidata Dilma Rousseff (PT) acusou seu rival José Serra (PSDB) de querer ganhar as eleições deste ano no tapetão."O que ele quer é virar a mesa da democracia. Quer ganhar no tapetão."

A resposta de Dilma veio após nova tentativa do tucano de ligá-la aos recentes episódios de vazamento de dados na Receita Federal. A presidenciável petista foi atacada também pelos candidatos Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (Psol). Dilma rebateu afirmando que todas as denúncias precisam ser apuradas, mas no entanto, não se pode jogá-las sob suas costas.

"Não concordo e não vou aceitar que me julguem sobre o que ocorreu com um filho de uma ex-assessora.  Isso cheira a manobra eleitoreira", respondeu Dilma, após ser questionada sobre a denúncia da revista Veja, sobre a suposta influêncioa do filho da ministra-che da Casa Civil na venda de facilidades aos que querem fechar contratos com o Estado.

Leia aqui sobre duas reportagens publicadas neste final de semana e como a velha mídia ignorou denúncia contra a filha do candidato tucano.

A matéria da Veja, publicada neste final de semana, foi amplamente repercutida por jornais e portais da mídia convencional, mas parte dela já foi desmentida por um dos personagens citados pela revista. A petista defendeu a investigação também deste caso.

A certa altura do debate, novamente pressionada a discorrer sobre denúncias - em vez de planos de governo - pelo candidato tucano, Dilma chamou Serra de caluniador. “Não passarei para a histórida desta eleição como a caluniadora. Ele é que passará.”, respondendo a Serra, que apostou desde o início do debate na onda de denuncismo.

A estratégia porém se voltou contra o próprio tucano, quando foi questionado por uma jornalista se usava as denúncias com objetivos eleitorais. Ele não explicou seu silêncio, quando soube que dados fiscais de sua filha Verônica foram violados quando ainda era governador de São Paulo.

O clima voltou a ficar quente no terceiro bloco, quando Serra tentou voltar à carga. "Não sou caluniador nem evasivo. Já de você não posso falar o mesmo", disse. Dilma respondeu logo em seguida: "Eu lamento a tentativa do candidato de me desqualificar. Eu também tenho uma trajetória. Não subestime ninguém, candidato. O senhor não é dono da verdade, nem melhor do que ninguém."

Siga a Rede Brasil Atual no Twitter ou no Facebook.