Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Datafolha diminui vantagem de Dilma e aposta em 2º turno

Datafolha diminui vantagem de Dilma e aposta em 2º turno

Candidata petista aparece com 51% dos votos válidos para o instituto, que dá 28% ao tucano
por Agência Brasil publicado , última modificação 28/09/2010 09h29
Candidata petista aparece com 51% dos votos válidos para o instituto, que dá 28% ao tucano

Brasília - Resultados da pesquisa de opinião do Instituto Datafolha revelam que a candidata Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República tem 51% dos votos válidos, José Serra (PSDB), 32%, e Marina Silva (PV), 16%. Na pesquisa estimulada, a candidata registra 46% das intenções de voto, enquanto José Serra (PSDB), 28%, e Marina Silva (PV) continua com 14%.

O levantamento, feito ontem (27), mostra no entanto queda de Dilma a seis dias da eleição. Na comparação com a pesquisa anterior (ocorrida nos dias 21 e 22), a candidata petista caiu 3 pontos percentuais; o tucano José Serra cresceu um ponto percentual; enquanto a verde Marina Silva ganhou 2 pontos.

Para ser eleita em primeiro turno Dilma precisa ter 50% mais um dos votos válidos (resultado descontado os votos brancos e nulos). Mantida a tendência de queda de Dilma Rousseff, poderá haver segundo turno para eleição presidencial, marcado para 31 de outubro.

Conforme o Instituto Datafolha, a margem de erro amostral da pesquisa é de dois pontos percentuais. Essa margem de erro torna mais difícil o prognóstico dos resultados da eleição de domingo (3), uma vez que Dilma Rousseff poderá ter entre 49% e 53% dos votos válidos.

Segundo o levantamento, os demais candidatos à Presidência da República – Ivan Pinheiro (PCB), Zé Maria (PSTU), José Maria Eymael (PSDC), Levy Fidelis (PRTB), Plínio Sampaio (P-SOL) e Rui Pimenta (PCO) – não alcançaram 1% das intenções de voto. O percentual de indecisos é de 7%; e 3% declararam votar nulo ou em branco.

A pesquisa foi feita em 202 municípios e entrevistou 3.180 pessoas. O Datafolha registrou o levantamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o número 32.913/2010.