Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 07 / Marina diz que conta com militância para 'fazer política de uma forma nova'

Marina diz que conta com militância para 'fazer política de uma forma nova'

por Alex Rodrigues, da Agência Brasil publicado , última modificação 07/07/2010 09h35

Candidata pelo PV, Marina Silva inaugura comitê eleitoral em São Paulo (Foto: Alex Rodrigues/ABr)

São Paulo - Candidata do Partido Verde (PV) à Presidência da República, Marina Silva não quer apenas os votos de seus simpatizantes. Ao inaugurar na terça-feira (6), em São Paulo (SP), uma espécie de comitê de campanha em uma casa disponibilizada por um eleitor, a ex-ministra do Meio Ambiente disse que espera ocupar todos os espaços para mostrar suas propostas de governo.

"Nós queremos que as pessoas disponibilizem suas casas. E que quando isso não for possível, aquele que for votar na (chapa) Marina Silva-Guilherme Leal ponha um adesivo no seu quarto. Assim nós iremos democraticamente ocupando os espaços e fazendo o convencimento do Brasil que queremos", disse a candidata ao visitar a primeira Casa de Marina, inaugurada na capital paulista.

Proposta pelo Movimento Marina Silva - criado por simpatizantes que se organizaram pela internet antes mesmo da senadora ter decidido deixar o PT e se lançar candidata pelo PV, as Casas de Marina são espécies de comitês populares, criados por iniciativa dos eleitores. O espaço visitado hoje pela candidato do PV está localizado no Campo Limpo, na zona de sul de São Paulo, e foi disponibilizado pelo promotor de vendas Adriano Prado, de 27 anos.

Para Marina, a iniciativa é uma maneira de se "fazer política de uma nova forma". "Quem disse que uma casa na qual as pessoas espontaneamente se mobilizam para multiplicar nosso material em seu bairro, não é tão competitivo quanto a política massacrante com rios de dinheiro e sem envolvimento com as pessoas? Isto aqui é altamente competitivo porque ninguém segura um coração mobilizado".

O candidato à Vice, o empresário Guilherme Leal, foi ainda mais claro ao defender a importância da iniciativa. "Sempre perguntam a Marina como um partido pequeno, sem alianças pragmáticas, poderia ousar se candidatar à Presidência da República enfrentando duas forças tradicionais da política brasileira, apoiadas por máquinas governamentais tão importantes? Este é um exemplo de como essa disputa pode ser feita: com a aliança com forças da sociedade".

Até o fim de semana, Marina Silva tem agenda marcada em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, onde está prevista a inauguração de espaços semelhantes. Parte do material de campanha distribuído também será confeccionado e pago pelos militantes organizados em cada casa, seguindo as orientações da coordenadoria de campanha disponíveis no site da candidata.

Filiado ao PV desde que Marina ingressou no partido, Adriano Prado mora com mais dez pessoas há mais de cinco meses na casa que colocou à disposição da candidata. "Estou disponibilizando minha casa para demonstrar que há jovens interessados em política e para oferecer informação (sobre a candidata) aos moradores do bairro. Daqui para frente, espero que aqui se torne um ponto de encontro e de distribuição da campanha da Marina", disse.