Você está aqui: Página Inicial / Política / 2009 / 07 / PT quer responsabilizar DEM pela crise no Senado

PT quer responsabilizar DEM pela crise no Senado

Partido mantém pedido público para que Sarney se licencie da presidência do Senado e lembra que Democratas esteve à frente da 1ª Secretaria nos últimos anos
por anselmomassad publicado , última modificação 02/07/2009 17h11
Partido mantém pedido público para que Sarney se licencie da presidência do Senado e lembra que Democratas esteve à frente da 1ª Secretaria nos últimos anos

Apesar da crise, José Sarney mantém atividades. Recebeu Liu Yunshan, ministro de Publicidade do Comitê Central do Partido Comunista da China (Foto: Jane de Araújo / Agência Senado)

Em discurso no plenário do Senado, o líder do PT Aloizio Mercadante (SP) reafirmou a posição do partido de pedir o afastamento temporário de José Sarney da presidência da Casa. A estratégia de "distensionar a Casa" não foi aceita por Sarney. O líder do PT assumiu a responsabilidade do partido em relação à governabilidade no Senado e a sustentação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Congresso.

“Nossa bancada considera que a melhor solução para esta crise seria uma licença temporária do presidente José Sarney para distensionar a Casa. Isso permitiria que essa comissão [suprapartidária] se instale para que possamos assegurar um clima político para ele [Sarney], com a sua história, com a importância histórica que tem na vida democrática do país, e para esta Casa”, disse Mercadante.

O senador também criticou a postura do Democratas, partido que apoiou a eleição de Sarney e esteve à frente da 1ª Secretaria nos últimos anos e decidiu pedir ao presidente do Senado que se licencie.

No discurso, Mercadante disse que o PT está sendo cobrado injustamente pela crise do Senado. O parlamentar observou que, excetuando-se um período de algumas semanas em que o senador Tião Viana (PT-AC) presidiu a Casa interinamente, em 2007, o partido não esteve à frente nem da 1ª Secretaria nem da Presidência nos últimos 14 anos.

"O DEM não pode desembarcar agora, romper com o presidente Sarney. Até porque como tem ocupado a 1ª Secretaria nos últimos anos, sua responsabilidade administrativa tem sido decisiva", afirmou.

Antes do discurso no Senado, Mercadante já havia falado sobre a responsabilidade do DEM em dar sustentação ao ex-diretor-geral Agaciel Maia, que foi demitido por Sarney.

“Perdemos essa disputa, entre eles [partidos que sustentaram a candidatura de Sarney] para o Democratas, que queria a continuidade, que estavam sustentando o senhor Agaciel Maia e outros que estavam na direção do Senado”, afirmou o petista.

Reunião com Lula

Apesar de a assessoria de Sarney ter noticiado que haveria encontro do presidente do Senado com Lula, o presidente da República negou o pedido de audiência. "O Sarney não pediu conversa comigo. Se ele pedir, eu atendo. Ele é o presidente do Senado."

Na noite desta quinta-feira (2), a bancada do PT no Senado deve se reunir com Lula no Palácio do Alvorada.

Com informações da Agência Senado e Agência Brasil