Hora da decisão

Eleições no Peru: empate técnico e campanha acirrada nas redes sociais

Levantamento do Datum mostra Pedro Castillo com 42,6% e Keiko Fujimori com 41,7%. Último e único debate do segundo turno acontece neste domingo (30) e pode ser decisivo

ONPE/Divulgação
Segundo turno das eleições presidenciais do Peru será realizado em 6 de junho

São Paulo – A pouco mais de uma semana do segundo turno nas eleições presidenciais do Peru, os candidatos Pedro Castillo, do Peru Livre, e Keiko Fujimori, do Força Popular, aparecem empatados tecnicamente. De acordo com o instituto Datum, Castillo tem 42,6% contra 41,7% da adversária.

O levantamento, realizado entre 25 e 27 de maio, aponta uma queda de 3,3% do professor e líder sindical, com oscilação positiva de 1,4% da ex-deputada e filha do ex-ditador Alberto Fujimori. De acordo com a sondagem, 77% dizem já ter definido seu voto.

Neste domingo (30), será realizado o único debate entre os dois em Arequipa. O encontro, com previsão de aproximadamente três horas, será transmitido pela TV aberta e também pelo Youtube e Facebook.

A batalha desigual nas redes das eleições no Peru

Nas redes sociais, Pedro Castillo busca, na campanha do segundo turno, reduzir a desvantagem que tem em relação a Keiko Fujimori. Com mais recursos, a candidata do Força Popular conta ainda com apoio de perfis e grupos que adotam o discurso anticomunista, não integrados de forma oficial em sua campanha.

O presidenciável do Peru Livre passou a contar com uma equipe de cinco assessores coordenando as redes no turno final. Mesmo assim, alguns erros básicos foram cometidos, como mostra reportagem do La Republica. Em 14 de maio, seu perfil tuitou uma ilustração com a frase “Antes de um ditador, agora professor”. A postagem queria fazer uma referência ao pai de Keiko, Alberto Fujimori, mas seus adversários a tomaram como se o professor fosse um totalitário reabilitado. A imagem foi excluída minutos depois e substituída por outra, metade em preto e branco com Fujimori e metade colorida de Castillo (abaixo).

Imagem que foi “consertada” após publicação que davam margem à dupla interpretação

O quase amadorismo contrasta com a robustez da campanha da adversária. Keiko tem mais de 1,783 milhão de fãs no Facebook, mais de 1,131 milhão de seguidores no Twitter e mais de 555 mil no TikTok, plataforma que foi priorizada por ela no primeiro turno. No final de abril, a campanha quadruplicou o conteúdo de suas redes.

No início de maio, o Facebook removeu três anúncios que atacavam Castillo por não haver identificação de quem havia financiado as peças. Também removeu 80 contas vinculadas a partidários do Força Popular por “conduta inautêntica coordenada”. Páginas apócrifas na rede social, no entanto, seguem fazendo postagens favoráveis a Keiko.


Leia também


Últimas notícias