Home Mundo Frente de brasileiros pela democracia se reúne em Berlim na sexta
Mobilização no exterior

Frente de brasileiros pela democracia se reúne em Berlim na sexta

Grupo articula ações contra o golpe e em defesa da liberdade de Lula
Publicado por Clara Assunção
15:59
Compartilhar:   
TVT/Reprodução

De acordo com o correspondente internacional em Berlim, Flávio Aguiar, declarações de Bolsonaro e seu governo têm manchado a imagem no Brasil no exterior

(*) Com informações do Sul21

São Paulo – A partir da sexta-feira (16) tem início, em Berlim, o segundo encontro da Frente Internacional de Brasileiras e Brasileiros pela Democracia e Contra o Golpe (Fibra). A reunião vai até domingo (18) e discutirá meios de atuação conjunta dos coletivos diante dos retrocessos impostos pelo governo de Jair Bolsonaro. Organizado desde 2016, em meio ao processo de golpe que derrubou a ex-presidenta Dilma Rousseff, o grupo conta ainda com pessoas de diversas nacionalidades e organizações no Canadá, Estados Unidos e América Latina.

A frente abre o evento com a mesa de conversa Diálogos de um Brasil que Resiste, com participação do ex-deputado federal Jean Wyllys e da escritora Márcia Tiburi, ambos vivendo fora do Brasil após ameaças de morte, o jornalista Breno Altman, a jurista brasileira eleita deputada na Espanha, Maria Dantas, e a deputada estadual Renata Souza (Psol-RJ). A roda de conversa terá como mediadora a atriz Bárbara Santos, integrante do grupo de artistas Kuringa.

A programação segue no sábado com uma reunião fechada entre os grupos para elaboração de um plano de ações e da “Carta de Berlim”, em que serão levantadas orientações para a luta política no exterior e em conexão com as atividades no Brasil.

A carta será divulgada ao público no domingo, quando o evento será encerrado com um ato pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O colaborador da RBA Flávio Aguiar antecipou na Rádio Brasil Atual o clima do encontro que demonstra o nível de preocupação das pessoas com o que acontece no Brasil. “Aqui na Europa realmente a situação do governo brasileiro é péssima”, sintetiza acrescentando que a diplomacia também tem se isolado diante das declarações de Bolsonaro. “Completamente contrárias à tradição diplomática brasileira, que sempre foi muito respeitada no mundo”.

A Fibra traz ainda uma exposição fotográfica sobre a vereadora e ativista Marielle Franco, assassinada em maço do ano passado, além de um mostra sob o tema “As ruas do mundo são nossas”, com imagens do fotógrafo Ricardo Stuckert e dos coletivos e grupos que compõem a Fibra, e uma roda de conversa com Márcia Tiburi.

Acompanhe a programação

Sexta-feira, 16 – Credenciamento, encontro dos convidados com a imprensa a partir das 10h30, sala 121 da Fundação.

– Painel de Abertura: “Diálogos de um Brasil que Resiste”, aberto ao público e com participação dos convidados. Mediação de Bárbara Santos.

Sábado, 17 – Reunião dos Grupos de Trabalho, reservada aos inscritos e credenciados na Fibra.

– Apresentação – “Cinema Verão”, aberto ao público e apresentado por Jean Wyllys.

Domingo, 18 – Aprovação da “Carta de Berlim” e encerramento, com ato aberto ao público pela liberdade do ex-presidente Lula, às 12h30.

Entrevista de Flávio Aguiar da Rádio Brasil Atual

(*) Com informações do Sul21