Nações Unidas

Encontro ratifica compromisso de acabar com trabalho infantil até 2025

Conferência discute como acelerar ações para acabar com práticas ilegais e também criar oportunidades de trabalho decente para os jovens

Nações Unidas
criancas.jpg

Conferência reuniu aproximadamente 3 mil pessoas para discutir erradicação do trabalho infantil em todas as regiões

São Paulo – Encerrada nesta semana em Buenos Aires, a 4ª Conferência Mundial sobre a Erradicação Sustentável do Trabalho Infantil aprovou um compromisso no sentido de acelerar as ações para acabar com essa prática até 2025 – e com o trabalho forçado até 2030 – em todo o mundo. E também discutir medidas para criar mais oportunidades de trabalho decentes para a população jovem.

“Nós sabemos o que é preciso fazer, e não há desculpas para não fazê-lo”, afirmou o diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder. “Temos o dever de assegurar um futuro para o trabalho no qual não existe trabalho infantil e nem forçado.”

A “Declaração de Buenos Aires”, aprovada ao final do encontro, destaca que as estimativas apontam 152 milhões de crianças exercendo trabalho infantil, sendo 73 milhões em suas piores formas. E 25 milhões seguem sendo objeto de trabalho forçado, entre eles, 4 milhões de crianças. Além disso, em todo o mundo pelo menos 71 milhões de jovens estão desempregados.

“O trabalho infantil, especialmente em suas piores formas, e o trabalho forçado são graves violações e abusos dos direitos humanos e da dignidade humana”, diz o documento. “São tanto causas como consequências da pobreza, da desigualdade, da discriminação, exclusão social e falta de acesso à educação.”

Participaram da conferência aproximadamente 3 mil pessoas, com 250 oradores.