América do Sul

Argentina sairá da sociedade da multiestatal Telesur, anuncia Macri

Ministro e secretário darão início a processo para desvincular Argentina da emissora, criada em 2005 pelo então presidente venezuelano Hugo Chávez

Divulgação/Telesur
telesurargentina.jpg

Criada em 2005, Telesur tem como acionistas os Estados da Venezuela, Cuba, Equador, Bolívia, Nicarágua e Uruguai

Opera Mundi – O governo argentino abandonará a sociedade proprietária da rede multiestatal Telesur, segundo informação publicada pelo jornal La Nación e confirmada pelo ministro de Meios e Conteúdos Públicos, Hernán Lombardi, ontem (27).

De acordo com a reportagem, Lombardi e o secretário de Comunicação Pública, Jorge Grecco, confirmaram que darão início ao processo para encerrar a participação da Argentina na empresa La Nueva Televisión del Sur, criada pelo então presidente venezuelano, Hugo Chávez, em 2005. Segundo o texto, a decisão já foi comunicada à ministra de Relações Exteriores argentina, Susana Malcorra.

“Nosso país não tinha nenhuma ingerência nos conteúdos nem em seu gerenciamento. Esta determinação está em linha com o que temos proposto para os meios públicos em termos de pluralismo e austeridade”, declarou Lombardi.

Em sua conta no Twitter, o ministro confirmou a informação e republicou a matéria do La Nación.

Segundo o jornal argentino, Lombardi e o secretário de Meios Públicos, Jorge Sigal, conversaram ao telefone com a presidente da Telesur, Patricia Villegas, para antecipar a decisão.

Com a saída e desvinculação da Argentina, a Telesur deixaria de ser emitida na plataforma digital aberta do país, que atende 80% da população, e também deixaria de ser incluída obrigatoriamente nas redes de TV a cabo.

A adesão da Argentina à Telesur deu-se a partir de um convênio de cooperação firmado com a Venezuela em janeiro de 2005, entre os governos dos então presidentes argentino, Néstor Kirchner, e venezuelano, Hugo Chávez. Passados os cinco primeiros anos da assinatura do convênio, sua renovação é automática, a menos que uma das partes comunique sua decisão de desligar-se. A desvinculação efetiva ocorre seis meses depois da apresentação de notificação.

Se a decisão se confirmar, a Argentina será o 1º país sócio-fundador a deixar a La Nueva Televisión del Sur, que em 2015 completou uma década no ar.

A rede, que foi transmitida pela primeira vez em 24 de julho de 2005, tem como acionistas, além da Argentina (com 16% das ações), os Estados de Venezuela, Cuba, Equador, Bolívia, Nicarágua e Uruguai.

Telesur estuda resposta

A Telesur anunciou neste domingo (27), de sua sede em Caracas, que “estuda resposta formal” ao anúncio de saída da Argentina da rede.

Segundo nota, a empresa multiestatal “busca confirmação das fontes citadas por La Nación, devido a não ser costume de nossos meios replicar informação sem verificação prévia”.

A Telesur informou que tem recebido “múltiplas mensagens de apoio de diversas figuras políticas e do público em geral, que considera uma arbitrariedade do governo do presidente Mauricio Macri a medida citada e publicada no jornal La Nación.