Sem continuidade

Tribunal Eleitoral confirma vitória do ‘não’ no referendo da Bolívia

Resultado do referendo impede o presidente da Bolívia, Evo Morales, de disputar novo mandato nas eleições de 2019

Roosewelt Pinheiro/ABr
evomorales.jpg

Evo Morales, presidente da Bolívia, desautorizado a candidatar-se a mais um mandato

La Paz – O Tribunal Supremo Eleitoral da Bolívia confirmou hoje (24) a vitória do ‘não’ no referendo constitucional realizado no domingo (21), que consultava a população se o presidente Evo Morales poderia voltar a ser candidato nas eleições de 2019.

O não recebeu 51,31% e o sim, 48,69%, depois de apurados 99,49% dos votos, afirmou a presidenta do daquele tribunal, Katia Uriona, em relatório divulgado na noite de ontem.

Num país em que o voto é obrigatório, 6,5 milhões de bolivianos, mais 300 mil no exterior, foram chamados às urnas no domingo para dizer se autorizava o presidente a disputar em 2020 um quarto mandato, o que lhe permitiria ficar no poder até 2025. Evo Morales, de 56 anos, no poder desde 2006, tinha previsto que o sim venceria com 70%.

Leia também

Últimas notícias