crise humanitária

Guerra na Síria já deixou 470 mil mortos e 1,9 milhão de feridos

Dos mortos, 400 mil morreram pela violência direta e 70 mil pela falta de serviços de saúde adequados e pela escassez de comida, água potável

Peter Stevens/Flickr
15159055580_43c385aef5_o.jpg

Expectativa média de vida na Síria caiu de 70 anos em 2010 para 55,4 anos em 2015

Opera Mundi – Um relatório lançado nesta hoje (11) pelo Centro Sírio para Pesquisas Políticas (SCPR, na sigla em inglês) concluiu que a guerra que assola a Síria desde 2011 já causou 470 mil mortes e deixou 1,9 milhão de feridos, tendo afetado diretamente 11,5% da população total do país.

O número de mortos encontrado pelo SCPR é quase o dobro da estimativa da ONU de 250 mil mortes divulgada em meados de 2014, quando a organização parou de contar as fatalidades no país alegando falta de acesso e de credibilidade nas fontes.

Segundo o relatório do SCPR, intitulado “Confronting Fragmentation” (“Confrontando a Fragmentação”, em tradução livre), a expectativa média de vida na Síria caiu de 70 anos em 2010 para 55,4 anos em 2015. As perdas econômicas estão estimadas em 255 bilhões de dólares. Para a entidade, a riqueza, a infraestrutura e as instituições do país foram “praticamente aniquiladas” pelo “impacto catastrófico” dos cinco anos de conflito.

Dos 470 mil mortos, 400 mil pereceram pela violência direta e 70 mil pela falta de serviços de saúde adequados e pela escassez de comida, água potável, saneamento e moradia apropriada, especialmente em zonas de conflito direto, diz o SCPR. “Utilizamos métodos de pesquisa rigorosos e estamos seguros destas estimativas”, afirmou Rabie Nasser, autor do relatório, ao jornal britânico The Guardian. “Acreditamos que a documentação da ONU e estimativas informais subestimaram as mortes por falta de acesso às informações durante a crise”, declarou.