diplomacia

EUA e Cuba anunciam retomada de serviço aéreo regular entre os países

Acordo assinado entre os dois países vai permitir 'uma relação mais estreita no plano da aviação civil e permitir o crescimento de viagens autorizadas entre os dois países'

flickr/reprodução/patriciobridges
cubavseua.jpg

Há um ano, os dois países retomaram o contato e abriram um processo de normalização das relações bilaterais

Washington – Os Estados Unidos anunciaram hoje (17) o reinício de um serviço aéreo regular para Cuba, depois do restabelecimento histórico das relações diplomáticas entre os dois países, em julho.

Em comunicado, o Departamento de Estado norte-americano ressaltou que a “lei dos Estados Unidos continua a proibir viagens turísticas a Cuba”. No entanto um acordo assinado entre os dois países vai permitir “uma relação mais estreita no plano da aviação civil vai permitir o crescimento de viagens autorizadas entre os dois países”.

Este elemento é um “componente essencial” da política do presidente Barack Obama em relação a Cuba, de acordo com o documento da diplomacia norte-americana.

Ontem (16) Washington e Havana concluíram um acordo bilateral “para estabelecimento de um serviço aéreo regular entre os dois países”, após negociações entre o Departamento de Estado e a embaixada cubana na capital norte-americana.

“Este acordo vai continuar a permitir os voos charter, fretados, e estabelecer um serviço aéreo regular, o que vai facilitar o aumento do número de viagens autorizadas, reforçar as escolhas oferecidas aos viajantes e promover os laços entre os povos dos dois países”, informou o comunicado.

Há um ano, os dois países retomaram o contato e abriram um processo de normalização das relações bilaterais, antes do restabelecimento diplomático em julho. A bandeira cubana foi içada em Washington em 20 de julho, em frente à embaixada de Havana, pela primeira vez em meio século.

A normalização completa das relações entre os dois antigos inimigos da Guerra Fria, no entanto, ainda está suspensa até o levantamento do embargo econômico imposto à Cuba, em 1962, por Washington.