Home Mundo Políticas domésticas legitimam posições do Brasil sobre sustentabilidade, diz Dilma
Na ONU

Políticas domésticas legitimam posições do Brasil sobre sustentabilidade, diz Dilma

Presidenta participa de sessão inaugural de Fórum Político sobre Desenvolvimento Sustentável, criado na esteira da Rio+20, e pede empenho na erradicação da pobreza
Publicado por Redação RBA
17:37
Compartilhar:   
Roberto Stuckert Filho/PR
dilma-forum-onu-stuckert.jpeg

Dilma lembrou que pela primeira vez na história é possível acabar com a miséria no mundo

São Paulo – A presidenta Dilma Rousseff defendeu hoje (24) em Nova York, durante a assembleia inaugural do Fórum de Alto Nível Político das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que as “políticas domésticas” implementadas pelo governo brasileiro “legitimam” as posições defendidas pelo país no cenário internacional. Dilma está nos Estados Unidos participando da 68ª Assembleia Geral da ONU, iniciada nesta manhã.

“Assinalo como exemplo nossa luta contra o desmatamento, nossa matriz energética renovável e as práticas sustentáveis na indústria e agricultura”, enumerou Dilma, ao lado de representantes da sociedade civil, líderes mundiais e chefes de organismos internacionais, como a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde. “Na área social, promovemos a inclusão direta por meio do cartão de crédito do Bolsa Família.”

Leia também:

O debate na ONU foi uma continuação das discussões abertas pela Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, realizada em junho de 2012 no Rio de Janeiro. Naquela ocasião, o documento final, firmado por quase duzentas nações, reconheceu a superação da pobreza como um ponto fundamental para que se alcance a preservação ambiental, tema imposto pela diplomacia brasileira.

Hoje, a presidenta basicamente fez reafirmar que, para o Brasil, não há contradição entre crescer, incluir, proteger e conservar. “Estamos crescendo com avanço na justiça social, mas também estamos lutando para preservar o meio ambiente”, defendeu Dilma. “Essa não é uma luta que se faz em gabinetes, é uma luta cotidiana em que Estado e sociedade têm que se envolver. Sustentabilidade é imprescindível. E nosso compromisso se reflete no fato de sermos, segundo as Nações Unidas, o país que mais tem feito pela redução da emissão de gases de efeito estufa.”

A presidenta considerou ainda que o combate à pobreza é o maior desafio do mundo na atualidade. E foi otimista, ao dizer que as metas assumidas pela comunidade internacional no sentido de melhorar a qualidade de vida das pessoas devem ser ambiciosas. “Pela primeira vez na história está a nosso alcance eliminar a pobreza extrema em todo planeta”, pontuou. “No Brasil, estamos atingindo essa meta com o programa Brasil Sem Miséria. Apoiaremos todas as iniciativas multilaterais nesse sentido.”

Dilma afirmou que espera ver o Fórum de Alto Nível Político das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, criado justamente no âmbito da Rio+20, se transformar num espaço em que as melhores práticas sejam discutidas e as soluções, encontradas. “A presença do Brasil aqui é a reafirmação de nosso compromisso com avanço da sustentabilidade.”