Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2013 / 06 / Violência no Iraque deixa mais de 3 mil civis mortos em 2012

Violência no Iraque deixa mais de 3 mil civis mortos em 2012

Guerra
por Agência EFE publicado 27/06/2013 12h46, última modificação 27/06/2013 12h50
Guerra

Genebra – Pelo menos 3.238 civis morreram e 10.370 ficaram feridos em ações relacionadas com a violência armada no Iraque durante 2012, segundo dados divulgados hoje (27) pelas Nações Unidas. Isto representa "uma mudança preocupante quanto à tendência decrescente dos últimos anos", de acordo com a Missão de Assistência da organização no Iraque (Unami).

"O retorno dos altos números de vítimas significa que ainda há muito o que fazer para proteger os civis", disse o enviado especial da ONU para o Iraque, Martin Kobler. Apesar de alguns avanços, os direitos humanos no país estão sob ameaça devido à crescente violência, com vários atentados, especialmente contra a comunidade xiita e as forças da ordem.

Apenas um ataque registrado na terça-feira tirou a vida de pelo menos 16 pessoas, enquanto outras 36 ficaram feridas. "Pedimos que os líderes iraquianos participem do diálogo e do desenvolvimento de políticas que abordem as causas fundamentais do problemas. Muitas vidas inocentes foram perdidas", acrescentou Kobler.

Por sua vez, a Alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, declarou que "as mulheres, as minorias, os incapacitados e outros grupos vulneráveis no Iraque seguem sendo vítimas de discriminação, de barreiras econômicas e sociais e de ataques dirigidos".

O mês de maio foi o mais sangrento no Iraque em mais de cinco anos, com a morte de 1.045 pessoas em atos de violência, segundo Unami.