Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2013 / 05 / Venezuela quer retomar diálogo com os Estados Unidos

relações internacionais

Venezuela quer retomar diálogo com os Estados Unidos

Governo Maduro aposta em normalização das relações diplomáticas, desde que haja 'respeito mútuo'
por Agência EFE publicado 19/05/2013 18h04
Governo Maduro aposta em normalização das relações diplomáticas, desde que haja 'respeito mútuo'

Caracas – O governo de Nicolás Maduro definiu como objetivo da política externa venezuelana a normalização das relações diplomáticas com os Estados Unidos, disse hoje (29) o ministro das Relações Exteriores, Elías Jaua.

Jaua assinalou à emissora local Televen que o Executivo de Maduro marcou esse objetivo "como garantia de paz", mas ressaltou que isso depende de "respeito mútuo" e da cessação da "ingerência" americana em seus assuntos internos.

Para avançar nessa meta, o ministro disse que também haverá aproximação com outros setores da sociedade americana.

As relações se encontram em um de seus pontos mais baixos devido a contínuos incidentes diplomáticos, gerados principalmente por declarações de funcionários de diferentes categorias, o que mantém sem embaixadores desde 2010 as respectivas embaixadas em Caracas e Washington.

As diferenças entre os dois países não afetaram a posição dos EUA como o principal parceiro comercial da Venezuela, que vende aos americanos cerca de 1,5 milhão dos 2,5 milhões de barris de petróleo que exporta todos os dias.

"Nos interessa seguir aprofundando e cultivando uma relação de amizade com esse grande povo americano", e para isso Maduro designou em 23 de abril o deputado governista Calixto Ortega como o encarregado de contatos com a sociedade americana, acrescentou Jaua.

O presidente venezuelano indicou nesse dia que Ortega terá a missão de "aumentar o diálogo com a sociedade americana", com o mundo acadêmico, social e sindical, com a comunidade afro-americana e latina, com senadores e deputados e, por fim, com os setores econômicos e sociais.

"Os EUA não são só o governo, mas também os atores econômicos, sociais, políticos, parlamentares, governadores, movimentos sociais e religiosos, e Calixto Ortega conseguiu estabelecer um conjunto de relações" com eles, finalizou.