Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2013 / 04 / Ministro venezuelano acusa planos da oposição para desestabilizar as eleições

Ministro venezuelano acusa planos da oposição para desestabilizar as eleições

Segundo informações da inteligência, mercenários de El Salvador estariam se infiltrando no país 'para provocar violência'
por do OperaMundi publicado , última modificação 07/04/2013 16h16
Segundo informações da inteligência, mercenários de El Salvador estariam se infiltrando no país 'para provocar violência'

São Paulo - Após reunião entre o ministro das Relações Exteriores, Elías Jaua, e membros da inteligência, foi descoberto um plano que pretende desestabilizar as eleições presidenciais do próximo fim de semana (14) na Venezuela. 

A acusação foi divulgada neste domingo (07) por Elías Jaua, que promete “nas próximas horas” mais informações sobre o ocorrido. Segundo o ministro, existe uma conspiração entre mercenários da América Central que, em parceria com a oposição venezuelana, pretendem sabotar o processo eleitoral. “Temos elementos precisos que vinculam mercenários de El Salvador com membros da oposição que se organizam para gerar violência em nosso país”, afirmou Elías Jaua.

Em entrevista ao canal Telesur, o ministro das Relações Exteriores denunciou que o grupo descoberto está ligado com Francisco Chávez - colaborador do terrorista Luis Posada Cartriles. Francisco, inclusive, já foi detido em 2010, tentando se infiltrar na Venezuela com documentos falsos.

"Existe um “grupo A” dirigido pelo ex-coronel salvadorenho David Coch e um “grupo B” dirigido por Guillermo Cader. Ambos vem recrutando mercenários para se infiltrarem em nosso país”, analisa Jaua.

Segundo as informações do governo venezuelano, o coordenador de toda a operação é Roberto Dabuisson, que foi flagrado em escuta telefônica, preparando ações para desestabilizar as eleições. “Capriles conseguiu lugares para que nosso grupo esteja seguro. No entanto, temos alguns chegando e não tem onde ficar”,  afirma, entre outras coisas, Dabuisson na escuta interceptada.

O vice-presidente da Venezuela, Jorge Alberto Arreaza, convocou a oposição, representada por Henrique Capriles, a se pronunciar sobre as informações descobertas. “Se esses senhores (oposição venezuelana) estão vinculados com os mercenários ou não, nós (membros do governo) temos certeza que sim. Cabe a oposição agora vir a público e dizer a verdade aos venezuelanos”, ponderou Arreaza.

Elías Jaua reiterou que o governo da Venezuela vai notificar formalmente o governo de El Salvador “para que nos ajude a confirmar a informação sobre os planos de sabotagem”. “Estamos denunciando para que esse plano macabro contra a Venezuela seja desativado”, concluiu Jaua.