Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2011 / 12 / Acusado de estar em campanha, Chávez promete buscar votos apenas em janeiro

Acusado de estar em campanha, Chávez promete buscar votos apenas em janeiro

por Redação da RBA publicado , última modificação 27/12/2011 15h28

São Paulo – A campanha presidencial na Venezuela ocorre em 7 de outubro de 2012, mas a oposição a Hugo Chávez acusa o presidente do país de já estar em campanha por sua reeleição. Chávez rechaçou a crítica, mas disse que começará a busca por votos apenas em janeiro – que começa na semana que vem.

"Nós não estamos na época (de campanha), são eles (a oposição) que estão na época, em face das chamadas primárias, eleições internas para determinar um único candidato para o rosto presidencial", atirou o presidente venezuelano. "(A oposição está) carregada de ódio, não é eficiente nem consegue interpretar os apelos do povo."

Ele promete empenho na campanha de 2012, mas negou a hipótese de abandonar atividades de chefe de Estado para o processo eleitoral. "Entrando o ano já começamos a elaborar algumas ações de pré-campanha, mas é preciso ir organizando um comando para isso. Não vou abandonar minhas funções, nem minhas tarefas", garantiu Chávez, em uma entrevista por telefone à emissora estatal, Venezolana de Televisión (VTV).

Deixar o cargo seria "seguir com o jogo para a burguesia". A receita para os próximos meses será de "trabalho, trabalho e mais trabalho", segundo Chávez. Ele já ensaia o tom da campanha: "Nós somos a garantia da paz, a segurança da unidade nacional, a estabilidade e o desenvolvimento (da Venezuela)".

No poder desde 1999, Chávez vive um momento político de incerteza. Em um tratamento de câncer desde meados deste ano, ele perdeu os cabelos e 20 quilos. Também tem mantido agenda menos intensa de compromissos públicos. Embora afirme estar recuperado, analistas consideram que o apoio popular ao presidente é menor do que em pleitos anteriores, como os de 2006, 2009 ou o plebiscito de 2007.

Além da disputa presidencial em outubro, há eleições regionais em dezembro de 2012. Contra Chávez, em busca de seu terceiro mandato, a expectativa é de que haja apenas um candidato oposicionista, cujo nome será definido em fevereiro.

Com informações da Agência Brasil e AnsaLatina