Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2011 / 10 / Dilma quer criar comércio bilateral e acordos cooperativos com a Bulgária

Dilma quer criar comércio bilateral e acordos cooperativos com a Bulgária

Presidenta trocou condecorações com o presidente búlgaro, Georgi Parvanov
por Redação da RBA publicado 05/10/2011 11h33, última modificação 05/10/2011 12h25
Presidenta trocou condecorações com o presidente búlgaro, Georgi Parvanov

Dilma e o presidente da Bulgária, Georgi Parvanov, com suas condecorações no Palácio Presidencial (Foto: ©Roberto Stuckert Filho/PR)

São Paulo - A presidenta Dilma Rousseff destacou a necessidade de impulsionar o comércio bilateral e manifestou a intenção em estreitar a cooperação nas áreas de educação, ciência e tecnologia entre o Brasil e Bulgária. A declaração aconteceu em seu primeiro pronunciamento oficial na Bulgária, na manhã desta quarta-feira (5), horário local, quando ela recebeu a Stara Planina, a mais alta condecoração do país.

Dilma lembrou que o Brasil está investindo no financiamento de formação de estudantes no exterior e mencionou a tradição da búlgara nas áreas de Matemática, Medicina e Física.  “Estou feliz e emocionada de, pela primeira vez, visitar a Bulgária, terra natal de meu pai, e desde que cheguei aqui recebi muitas manifestações de afeto de seus governantes e de seu povo, ao qual me sinto profundamente ligada por laços de sangue e pela memória de meu pai. Por isso venho à Bulgária com a expectativa de traduzir esse carinho e esse apreço em gestos concretos de aproximação entre os nossos países.”

Georgi Parvanov, presidente da Bulgária, também recebeu de Dilma uma condecoração nacional, a Ordem do Cruzeiro do Sul, no grau de Grã-Cruz, que é a entregue a personalidades estrangeiras. As ações diplomáticas visam fortalecer os laços entre os dois países. Os presidentes discutiram a possibilidade de cooperação na esfera das comunicações, cultura e esporte, e assinaturam um convênio de cooperação econômica entre os países. Os ministros de Relações Exteriores da Bulgária e do Brasil, Nikolay Mladenov e Antonio Patriota, assinaram uma declaração de cooperação em tecnologias da informação.

"Acho que o setor empresarial brasileiro descobrirá que a Bulgária é um bom lugar para investir", disse Parvanov, que citou os setores agrícola, farmacêutico e químico como principais áreas de investimento.

Dilma Rousseff afirmou que a crise financeira internacional faz com que seja necessário unir esforços para reestruturar o comercial bilateral, que na última década “vinha crescendo de maneira notável”. Disse que essa determinação estará presente em todas os encontros que realizar no país, especialmente com a ajuda da delegação empresarial brasileira.

“A crise internacional, ainda em curso, nos impede de tirar das cifras de intercâmbio conclusões definitivas. Tenho, no entanto, o firme propósito de recuperar o terreno perdido, recuperar o dinamismo e multiplicar as oportunidades para empresários brasileiros e búlgaros”, explicou.

“Vemos na Bulgária um parceiro com o qual queremos trabalhar (…) em benefício de nossas duas sociedades, e também um parceiro com o qual buscaremos aprofundar o diálogo sobre toda a sorte de temas de interesse comum – crescimento econômico global, promoção da paz, da segurança e do desenvolvimento – em nossas regiões e no resto do globo.”

De lá para cá

A presidenta lembrou dos grandes eventos esportivos que serão realizados no Brasil. Declarou que o país receberá, de braços abertos, os atletas, torcedores, jogadores e turistas búlgaros na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016, “que, como em outros pontos, falam um idioma comum: a universal conversa dos esportes".

Com informações do Blog do Planalto