Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2011 / 09 / Após discurso na ONU, Dilma visita seis países nos próximos dois meses

Após discurso na ONU, Dilma visita seis países nos próximos dois meses

Viagens estavam marcadas, mas presidenta diz estar "animada" depois de participar da Assembleia Geral da ONU. Ela abre ainda maior festival cultural da Europa
por Redação da RBA publicado 26/09/2011 09h46, última modificação 26/09/2011 09h52
Viagens estavam marcadas, mas presidenta diz estar "animada" depois de participar da Assembleia Geral da ONU. Ela abre ainda maior festival cultural da Europa

"Voltei muito animada da Assembleia da ONU", disse Dilma, nesta segunda-feira (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

São Paulo - A presidenta Dilma Rousseff tem uma série de viagens internacionais programadas até outubro. Na semana passada, ao participar de eventos preparatórios para  66ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e de abrir o principal evento da entidade, Dilma ganhou destaque na mídia do mundo todo. As visitas já estavam programadas pelo Ministério das Relações Exteriores e devem aproveitar o momento favorável.

"Voltei muito animada da Assembleia da ONU", disse Dilma, nesta segunda-feira (26), ao comentar sua participação na ONU. "O Brasil está mostrando ao mundo que é possível fazer a economia crescer e, ao mesmo tempo, fazer com que as pessoas melhorem de vida. Foi assim que conseguimos driblar a crise econômica mundial em 2008 e é assim que estamos nos preparando para evitar impactos maiores da crise atual sobre o Brasil e sua economia", disse.

A presidenta reafirmou os termos da posição defendida pelo país em Nova York, sede das Nações Unidas, sobre soluções para a instabilidade da economia internacional. "É claro que os países desenvolvidos têm uma responsabilidade muito maior, porque foi lá que a crise começou. Mas todos os outros países sofrem as consequências de alguma forma, ainda que indireta. Então, todos devem ter o direito de participar das soluções", afirmou.

Maratona

A sequência de viagens começa na próxima semana, nos dias 3 e 4 de outubro. Dilma discute relações entre a União Europeia e o Mercado Comum do Sul (Mercosul). O debate, ocorre em Bruxelas, na Bélgica. Ainda no próximo mês, Dilma visita Bulgária, Turquia e África do Sul.

Ainda na capital belga, no dia 5 de outubro, a presidenta abre o 23º Europalia, maior festival de cultura da Europa. O evento deste ano homenageia o Brasil. O vídeo promocional do festival é do grupo brasileiro Barbatuques. O evento ocorre simultaneamente em Luxemburgo, na França, na Alemanha e na Holanda.

O festival tem atividades previstas até janeiro de 2012. São 130 shows, 60 apresentações de dança e 40 de teatro, 20 exposições de artes visuais e 80 conferências literárias tendo a cultura brasileira como principal tema.

Em Sófia, capital da Bulgária, Dilma visita a cidade natal de seu pai, Pedro Rousseff. Parte da família ainda vive em Gabrovo.

Depois, no dia 7, a presidenta chega a Istambul, na Turquia, para encontros oficiais com o presidente e o primeiro-ministro turcos. Foi com chefes de Estado do país que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negociou, com o Irã, uma proposta de retomada de negociações sobre o programa nuclear do país. A viagem de Dilma deve se estender até o dia 9, quando volta ao Brasil.

Dilma embarca novamente no dia 18 para ir à África do Sul. Por dois dias, ela participa, em Durban, da 5ª Cúpula do Ibas, grupo que reúne Índia, Brasil e África do Sul. Estão previstas visitas a Moçambique e Angola, ambos de língua portuguesa e com os quais o Brasil mantém vínculos e parcerias.

No mês seguinte, há reuniões da cúpula do G20, o grupo das maiores economias do mundo, incluindo emergentes, em Cannes, na França. Em dezembro, Dilma irá à Venezuela encontar-se com o presidente Hugo Chávez, que se recupera de um câncer. Na ocasião, estão previstas reuniões da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

Com informações da Agência Brasil