Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2010 / 11 / Próximo governo terá que buscar fortalecer instituições sul-americanas, diz assessor da Presidência

Próximo governo terá que buscar fortalecer instituições sul-americanas, diz assessor da Presidência

por Vitor Abdala publicado , última modificação 16/11/2010 16h55

Unasul e Mercosul devem ser prioridades, diz Garcia (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Rio de Janeiro – O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, disse nesta terça-feira (16) que o governo da presidenta eleita, Dilma Rousseff, terá o desafio de buscar o fortalecimento institucional do Mercosul e da União de Nações Sul-Americanas (Unasul). Segundo Garcia, o governo Lula avançou bastante na integração do continente, mas ainda falta “dar mais institucionalidade a esse processo”.

“Tanto o Mercosul quanto a Unasul vão ter que fortalecer suas instituições para que a gente tenha uma política energética comum, para que a gente fortaleça nossa infraestrutura, sobretudo nesse quadro de crise mundial. A América Latina e a América do Sul vão ter que estar muito articuladas para vencer as dificuldades que o quadro mundial oferece. Acho que o próximo governo vai ter que conversar com outros países no sentido de enfatizar essa questão”, disse.

Garcia acredita que, nos dois últimos meses de mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva buscará avançar no fortalecimento das instituições dos dois blocos. A questão deverá ser abordada na reunião da Unasul, no final do mês, na Guiana, e na Reunião de Cúpula do Mercosul, em dezembro, em Foz do Iguaçu (PR), quando o Brasil deixará a presidência rotativa do bloco.

Segundo Garcia, o Mercosul poderia ter se consolidado e até se expandido não fossem “erros” cometidos pela política externa brasileira no passado. “Nós poderíamos, por exemplo, ter atraído mais o Chile, mas tivemos uma visão muito estrita em termos de tarifas”, afirmou.

Depois de consolidar institucionalmente os blocos sul-americanos, Garcia acredita que o Brasil deveria buscar o fortalecimento da integração com o restante da América Latina, por meio da recém-criada Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

Garcia participou nesta terça, no Rio de Janeiro, de um seminário da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) para discutir a integração da América Latina. Durante o evento, a Flacso assinou acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplica (Ipea) para a realização da pesquisas conjuntas sobre questões regionais.