Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2010 / 10 / Brasil envia técnicos, medicamentos e material hospitalar para ajudar Haiti

Brasil envia técnicos, medicamentos e material hospitalar para ajudar Haiti

por Fabio M Michel, da RBA publicado , última modificação 23/10/2010 13h26

Vítima de terremoto carrega água em Porto Príncipe (Foto: Eduardo Munoz/Reuters)

Brasília – Técnicos brasileiros do Ministério da Saúde, além de medicamentos e material hospitalar, serão enviados ao Haiti na próxima semana para ajudar o governo do presidente haitiano, René Préval, no combate ao surto de cólera no país.

O Ministério das Relações Exteriores informou que alguns técnicos da área de saúde do Brasil já chegaram ao Haiti. A ideia é avaliar a situação para que mais profissionais sigam para Porto Príncipe (capital haitiana) nos próximos dias. O governo avalia ainda a possibilidade de ampliar a cooperação a ser prestada pelo Brasil por intermédio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). 

Na próxima semana, voos especiais da Força Aérea Brasileira (FAB) seguem para Porto Príncipe com carregamento de antidiarreicos, sais para reidratação oral e antibióticos, além de luvas e  materiais descartáveis. 

Em nota oficial, o Itamaraty informou que “o governo brasileiro acompanha com preocupação” os casos de cólera nas regiões de Mirebalais e Saint Marca – localizadas a cerca de 100 quilômetros da capital do Haiti. 

A nota lembra que a situação é ainda “mais difícil” em decorrência da realidade enfrentada no Haiti, que ainda passa pelo processo de reconstrução depois do terremoto de janeiro. A maioria da população vive em tendas e barracas o que, para as autoridades haitianas, aumenta o risco de contaminação devido à falta de condições adequadas de higiene.

O Itamaraty informou também que a Embaixada do Brasil em Porto Príncipe mantém permanente contato com a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), integrantes do governo Préval e organizações não governamentais.

Na manhã deste sábado (23), o governo haitiano confirmou a morte de 196 pessoas e que a contaminação já atingiu cerca de 2,5 mil haitianos.  É o pior registro de contaminação da doença desde o terremoto de 12 de janeiro deste ano.

Na tentativa de conter o avanço da doença no Haiti, equipes de saúde das Nações Unidas intensificaram a distribuição de pastilhas para purificação de água, vasilhames, kits higiênicos e soro reidratante.

Edição: Fábio M. Michel