Você está aqui: Página Inicial / Jornais / Bebedouro / Escritor debate conjuntura política e ética envolvendo inteligência artificial
Número 41, Agosto 2015
Bebedouro

Edição 41

Escritor debate conjuntura política e ética envolvendo inteligência artificial

Escritor debate conjuntura política e ética envolvendo inteligência artificial

Projeto Guri seleciona candidatos para formação de orquestra; Condomínios fechados se espalham pelo interior do Estado; Bebedouro já têm nova frota de ônibus em circulação

Vivemos tempos sombrios na política brasileira. A confusão que ocorre entre manifestação de pensamento e oportunismo pela derrocada da democracia é de deixar qualquer pessoa com um mínimo de lucidez preocupada com as notícias do Planalto.

Não é o melhor momento da nossa economia após uma década frutífera a todos, com valorização do salário mínimo, ampla oferta de empregos, programas sociais de distribuição de renda aquecendo o mercado, para ficar apenas no que sempre foi mais aparente e sensível.

Agora, os efeitos da crise econômica mundial chegaram ao país. O que fora chamado de “marolinha” pelo ex-presidente Lula veio como um tsunami para o colo da presidenta Dilma. É difícil assimilar como a sua equipe econômica trabalha para retomar o crescimento do PIB, sobretudo pelo peso que jogam nas costas dos que estão no andar de baixo, mas não é por este motivo que iremos confundir alhos com bugalhos.

É compreensível o descontentamento de muitos brasileiros que, desiludidos ou carentes de experiência política, participam desse novo formato de manifestação política, realizada aos domingos, com todos vestindo roupas verdes e amarelas (mais próximo a uma festa do que um protesto).

Ainda que seja importante discutir quem financia os grupos organizadores supostamente apartidários, que marcham lado a lado com defensores do golpe militar, e têm lideran- ças com boas relações com Eduardo Cunha (PMDB), Aécio Neves (PSDB), Jair Bolsonaro (PP) e outros políticos tarimbados.

O que não é possível admitir, porém, é qualquer afronta ao regime democrático. O nosso modelo representativo tem se mostrado falho, mas a sua essência é o que nos permite a livre organização e as manifestações de rua.

É preciso respeitar as regras deste jogo. Saber perder faz parte da democracia. Reivindicar melhorias, também. Mas é leviano quem pede o impeachment de Dilma porque discorda de sua política, tentando associá-la sem provas ao caso da Petrobras. Isso é, no mínimo, um golpe branco! E já não há mais espaço para golpes no Brasil. É preciso combater o bom combate, respeitando o regime democrático e o voto popular.

Confira a edição completa em PDF:

 

bebedouro_41_revisado-3 (1) by giovanni_giocondo