REPÚDIO

Narrador usa termo racista em jogo de Santos e Grêmio; clube paulista tomará ‘medidas cabíveis’

Heraldo de Souza, da Rádio Grenal, chamou Lucas Braga, do Santos, de “crioulinho”. “Não cabem mais lamentos ou notas de repúdio sobre racismo em pleno 2021. Cabe ação e mobilização”, diz clube em nota

RADIO GRENAL/SANTOS FC
Santos afirmou que tomará as devidas medidas cabíveis para tratar do caso e que não fará apenas 'nota de lamento e repúdio'

São Paul – O narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal, usou expressão racista durante o jogo entre Santos e Grêmio, nesta quarta-feira (3), válido pelo Campeonato Brasileiro. Ele se referiu ao atacante do Santos Lucas Braga, que é negro, como “crioulinho pela esquerda”.

Durante o empate de 3 a 3, o narrador perguntou ao repórter: “Aquele crioulinho que está lá na ponta esquerda do time do Santos, quem é ele?”. Em seguida, ao saber o nome do atleta, complementou: “Ah, o Lucas Braga que está caído lá. É o moreno, né? Moreno, cidadão de cor”.

Em pronunciamento oficial, o Santos afirmou que tomará as devidas medidas cabíveis para tratar do caso e que não fará apenas “nota de lamento e repúdio”. O clube exige ainda ações por parte do veículo em relação ao jornalista.

“Não cabem mais lamentos ou notas de repúdio sobre racismo em pleno 2021. Cabe ação e mobilização. O Clube, através de seu Departamento Jurídico, tomará medidas cabíveis, da mesma maneira esperamos uma reação efetiva do veículo de comunicação empregador desse senhor e da própria comunidade que compõe a audiência de tal rádio. É no silêncio, na omissão, na relativização frente ao preconceito que o racismo cresce silenciosamente e se estabelece de forma estrutural em nossa sociedade. Basta de tolerância com racismo! Basta!”, diz a nota.

‘Inadmíssvel’

A fala racista do narrador foi alvo de críticas nas redes sociais. A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) disse ser “inadmissível que atitudes racistas ainda sejam vistas no jornalismo esportivo em plena atualidade”. O também deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) chama o ato de “repugnante”.

“Notem que não é ‘ato falho’ ou ‘na boa’, como diz o narrador racista. Ele insiste na conduta criminosa, talvez confiante na impunidade. Racismo é crime!”, afirmou Orlando Silva.

O atacante santista Marinho, que também é negro e já se manifestou diversas vezes contra o racismo, chamou o narrador de “preconceituoso” no Instagram. “Lamentável ter que ouvir isso desse mal informado, mal preparado que, infelizmente, vive na sociedade para agredir verbalmente alguém. Seu preconceituoso”, publicou.

O narrador foi às redes sociais e se defendeu. “Sou filho de negro-nego Benê. Sou casado com uma mulher da raça negra. Fui criado em meio aos negros (…) Narrando futebol há 58 anos, muitas vezes disse: ‘Quem é aquele neguinho lá na ponta’? ‘Quem é aquele alemão ali no meio’?”, argumentou.

A Rádio Grenal também emitiu nota e afirma “não compactuar com qualquer tipo de atitude discriminatória a quem quer que seja, pautando sua atuação através do respeito a todos, sem exceção”.