Decisão

Flamengo e River fazem final inédita de Libertadores em partida única às 17h

Apesar de Flamengo ter melhor campanha até aqui, em caso de empate a decisão jogada no Peru irá para a prorrogação; se persistir, pênaltis

reprodução

São Paulo – Flamengo e River decidem às 17h deste sábado (23), em Lima, a primeira final de Libertadores da América disputada em jogo único. Da primeira competição – também entre brasileiros e argentinos, e vencida em 1960 pelo Santos sobre o Boca Juniors em 1960 – até 1987, o campeão era conhecido em até três partidas. A partir de 1989,  as finais passaram a ser disputadas em jogos de ida e volta, com decisão nos pênaltis em caso de igualdade.

A mudança deste ano para jogo único é polêmica, por começar a copiar as competições europeias pelo seu aspecto menos relevante, contrariando a tradição sul-americana e retirando do clubes a possibilidade de ampliar receitas lotando seus estádios – via de regra com ingressos muito mais caros do que os cobrados ao longo da jornada.

O Flamengo não poderá tirar vantagem por ter feito melhor campanha do que o River ao longo do torneio. Em caso de empate, haverá prorrogação de 30 minutos, e decisão por pênaltis se persistir a igualdade.

Lima recebe a final entre Flamengo e River depois de o jogo marcado para Santiago do Chile ter sido transferido pela Conmebol, a confederação sul-americana, em razão das turbulências decorrentes da grande mobilização contra o governo de Sebástian Piñera, que vêm sendo respondidas com muita violência policial.

Contrastes

O futebol argentino domina a Libertadores, com 25 títulos, nove deles em cima de clubes brasileiros– que venceram 18 campeonatos, cinco vezes sobre clubes argentinos.

Na única final que disputou até então, em 1981, o Flamengo teve como adversário o Cobreloa (Chile). E venceu. O River,  atual campeão, está em sua sétima decisão. Além da final deste ano e da derrota para o Cruzeiro em 1976, conquistou quatro Libertadores: 1986 e 1996 sobre America de Cali (Colômbia), 2015 sobre o Tigres (México) e 2018 sobre o Boca Juniors (Argentina). Em 1966 esteve na primeira final e perdeu para o Peñarol (Uruguai).

O rubro-negro carioca e os millonarios já se enfrentaram em quatro oportunidades na história da Libertadores. No ano de 1982, em uma semifinal em formato triangular que também contava com o Peñarol, o Flamengo derrotou o River Plate em duas oportunidades, por 3 a 0 jogando em Buenos Aires, e por 4 a 2 atuando no Rio de Janeiro.

As duas outras partidas aconteceram em 2018 pela fase de grupos da competição. Elas terminaram empatadas, 2 a 2 no Rio de Janeiro e 0 a 0 em Buenos Aires.

Quem joga

Flamengo: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Mari e Filipe Luís; Arão e Gerson; Éverton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique; Gabriel.

River Plate: Franco Armani, Montiel, Martínez Quarta, Pinola e Casco; Enzo Pérez, Nacho Fernández, Palacios e De La Cruz; Borré e Suárez.


Se quiser ver em um bar democrático, entre neste guia e confirme no local de interesse se haverá transmissão


• Com informações da Agência Brasil