#ELENÃO

Torcidas do Grêmio e do Vitória também se manifestam contra Bolsonaro

“Há uma incompatibilidade intransponível entre defender o bem-estar da sociedade e votar em torturador”, diz trecho da nota da torcida Os Imbatíveis, do time baiano

Fotomontagem
#elenão

Em comum, os manifestos dos torcedores rechaçam uma candidatura sem compromisso com a democracia

São Paulo – O movimento de coletivos e torcidas organizadas de futebol contra a candidatura à Presidência da República de Jair Bolsonaro (PSL) segue crescendo. Depois da Gaviões da Fiel, do Corinthians, Torcida Jovem, do Santos, e torcedores de PalmeirasInternacional e Flamengo, agora foi a Torcida Uniformizada Os Imbatíveis (TUI), do Vitória da Bahia, e do grupo Democracia Gremista se manifestarem.

“Agora em 2018 voltamos a viver sob a ameaça de tiranos que pretendem arrastar o Brasil para tempos anteriores a 1823. Ao observar os discursos do candidato Jair Bolsonaro, carregados de extremismo e ódio a uma parcela da população, nota-se o quão retrógrado é o seu plano de governo e violador do próprio Estado democrático de Direito”, diz trecho do manifesto da torcida do Vitória, publicado em rede social nesta terça-feira (25).

Segundo a nota, o fato de Bolsonaro manifestar opiniões contrárias aos direitos conquistados pelas mulheres, ter opiniões de cunho racista e ser contrário às políticas de ações afirmativas, além de homenagear torturador, revela sua inaptidão para ocupar cargo público.

“Há uma incompatibilidade intransponível entre defender o bem-estar da sociedade e votar em torturador”, define Os Imbatíveis. “Nesse sentido, a TUI vem a público manifestar o seu repúdio ao candidato à Presidência da República pelo PSL e a todos àqueles que compartilham dos ideais fascistas, racistas, machistas e autoritários apresentados pelo mesmo. Ressaltamos ainda que não temos a pretensão de induzir nossos associados a votar em candidato A ou B, em respeito à pluralidade de ideias e à própria garantia do sigilo do voto, mas sim demarcar a racionalidade do posicionamento em contrário a todo discurso que ousa fazer escárnio do respeito à dignidade humana.”

O grupo Democracia Gremista também marcou posição contra a candidatura de Bolsonaro. Em seu manifesto, o grupo reforça o significado do hino do clube ter sido composto por um negro, o cantor compositor Lupicínio Rodrigues, e relembra a história da Coligay, a primeira torcida organizada gay do Brasil.      

“Como gremistas temos orgulho das nossas façanhas, dos títulos, da raça charrua, da entrega, da vontade em campo, da instituição e da sua torcida (…) Também temos orgulho da luta dos povos contra a discriminação e o fascismo! Somos frutos desta luta, ferro forjado nesta resistência, desta luta dos gremistas e não gremistas! Somos inimigos do fascismo e nazismo”, diz um trecho da nota.

“Temos orgulho e resistimos juntos com nossas torcedoras, mulheres que ainda são vítimas de machismo e misoginia nos estádios e arenas de futebol. Resistimos juntos, com elas e com todos que, mesmo em 2018, ainda são vítimas da homofobia e racismo e que convivem com cânticos discriminatórios de muitas torcidas (inclusive da nossa!), apesar da linda experiência histórica que tivemos com a COLIGAY”, afirma outro trecho.

O grupo diz entender o futebol como reflexo da sociedade e, neste sentido, se lutam para democratizar o Grêmio, também agem em prol de uma sociedade democrática. “Neste processo eleitoral temos lado, que é da defesa da democracia!”, encerra o manifesto da Democracia Gremista.

Leia a íntegra das notas:

Torcida Uniformizada Os Imbatíveis

COM TIRANOS NÃO COMBINAM BRASILEIROS CORAÇÕES

Os versos do hino da independência da Bahia sintetizam a luta histórica travada contra o autoritarismo, deixando ainda uma clara mensagem aos saudosos pelos regimes ditatoriais: não mais permitiremos que o despotismo volte a reger nossas ações.

A história da Torcida Os Imbatíveis esteve sempre vinculada ao povo e aos ideais de libertação e mudança. Tanto que, desde o nosso surgimento em 1997, revolucionamos por completo a cultura torcedora do estado e avançamos na realização de projetos, através do nosso Grupo de Ação Social (GAS), que nos permitiram conhecer ainda mais profundamente os sofrimentos e angústias vivenciados pelos que não herdaram riqueza.

Agora em 2018 voltamos a viver sob a ameaça de tiranos que pretendem arrastar o Brasil para tempos anteriores a 1823. Ao observar os discursos do candidato Jair Bolsonaro, carregados de extremismo e ódio a uma parcela da população, nota-se o quão retrógrado é o seu plano de governo e violador do próprio Estado democrático de Direito.

Dessa forma, as propostas apresentadas pelo mencionado candidato, que inclusive votou favoravelmente ao congelamento de investimentos sociais por 20 anos, NÃO CONTEMPLAM as reais necessidades das milhares de pessoas que se encontram passando fome, em situação de rua, desempregados, desabrigados, sem terra e etc.

Ademais, o fato deste manifestar opiniões contrárias aos direitos conquistados pelas mulheres; defender o assassinato de pessoas pobres; apresentar opiniões de cunho racista e ser declaradamente contrário à políticas de ações afirmativas; homenagear torturador; e, finalmente, ser favorável à extinção das torcidas organizadas, só reforçam a sua inaptidão para qualquer cargo público.

Há uma incompatibilidade intransponível entre defender o bem-estar da sociedade e votar em torturador. Vivemos em um país profundamente marcado pela desigualdade social e que sofre com os resquícios de séculos de escravização, o que só evidencia a emergência de políticas públicas e não de distribuição de armas.

Nesse sentido, a TUI vem a público manifestar o seu repúdio ao candidato à Presidência da República pelo PSL e a todos àqueles que compartilham dos ideais fascistas, racistas, machistas e autoritários apresentados pelo mesmo. Ressaltamos ainda que nao temos a pretensão de induzir nossos associados a votar em candidato A ou B, em respeito à pluralidade de ideias e à própria garantia do sigilo do voto, mas sim demarcar a racionalidade do posicionamento em contrário a todo discurso que ousa fazer escárnio do respeito à dignidade humana.

Torcida Os Imbatíveis

Com o Vitória além da morte!

———————————————————————————————————-

Democracia Gremista: #EleNão #EleNunca

Nós da DEMOCRACIA GREMISTA nascemos da luta para democratizar o GRÊMIO, o futebol e a sociedade. Somos mulheres e homens, em essência, azuis, pretos e brancos, mas também somos de todas cores do arco-íris!

Como gremistas temos orgulho das nossas façanhas, dos títulos, da raça charrua, da entrega, da vontade em campo, da instituição e da sua torcida. Temos orgulho de ter um hino composto por um dos maiores poetas da música popular brasileira, negro! Temos orgulho da estrela em nossa bandeira representar um tricampeão do mundo que prematuramente nos deixou, negro!

Também temos orgulho da luta dos povos contra a discriminação e o fascismo! Somos frutos desta luta, ferro forjado nesta resistência, desta luta dos gremistas e não gremistas! Somos inimigos do fascismo e nazismo. Nunca esqueceremos de gestos históricos como a Partida da Morte do Dynamo de Kiev, que derrotou o time do exército nazista (leia aqui sobre a partida https://goo.gl/fJEfKH).

Temos orgulho e resistimos juntos com nossas torcedoras, mulheres que ainda são vítimas de machismo e misoginia nos estádios e arenas de futebol. Resistimos juntos, com elas e com todos que, mesmo em 2018, ainda são vítimas da homofobia e racismo e que convivem com cânticos discriminatórios de muitas torcidas (inclusive da nossa!), apesar da linda experiência histórica que tivemos com a COLIGAY.

Como não poderia ser diferente, entendemos o futebol como reflexo da sociedade: se lutamos para democratizar o Grêmio, também lutamos por uma sociedade democrática: livre de tudo aquilo que condenamos. Neste sentido não poderíamos nos calar! Neste processo eleitoral temos lado, que é da defesa da democracia!

Para o Brasil não mergulhar no mar do atraso:

Não admitimos candidato fascista!

Não admitimos candidato racista!

Não admitimos candidato misógino!

Não admitimos candidato machista!

Não admitimos candidato homofóbico!

Não admitimos candidato xenófobo!

#EleNão #EleNunca