Você está aqui: Página Inicial / Esportes / 2016 / 08 / Brasil segue competitivo em esportes coletivos nos Jogos Olímpicos

Rio 2016

Brasil segue competitivo em esportes coletivos nos Jogos Olímpicos

Mesmo com dificuldades, a seleção masculina de vôlei derrotou o México. O handebol surpreendeu a forte Polônia. Apenas no basquete que a seleção masculina perdeu embate contra a Lituânia
por Redação RBA publicado 07/08/2016 18h45
Mesmo com dificuldades, a seleção masculina de vôlei derrotou o México. O handebol surpreendeu a forte Polônia. Apenas no basquete que a seleção masculina perdeu embate contra a Lituânia
Willian Lucas/ Inovafoto
bernardinho.jpg

Bernardinho sofreu, mas viu a seleção bater o México por 3 sets a 1

São Paulo – A seleção masculina de vôlei foi surpreendida, mas bateu o México, que mostrou mais qualidade do que o esperado. Após perder o primeiro set por 25 a 23, o time comandado pelo técnico Bernardinho se recompôs, e conquistou os três sets em seguida, vencendo o jogo. O próximo compromisso, válido pela fase de grupos, será na terça-feira (9) contra o Canadá. Destaque para a torcida, que compareceu em peso ao Maracanazinho e apoiou a seleção brasileira durante toda a partida.

Já o basquete masculino não conseguiu superar a forte seleção da Lituânia, que fechou o placar com resultado de 76 a 82. No mesmo grupo das duas equipes, estão as experientes Argentina e Espanha, além da Nigéria. Quatro times avançam para a fase mata-mata, mas o problema é que, para evitar um confronto com a seleção praticamente imbatível dos Estados Unidos, o Brasil não pode se classificar em segundo, ou quarto. Com a derrota de hoje, o time precisará, além de vencer o ponto mais fácil do grupo, a Nigéria, fazer bonito contra o país vizinho, ou contra os espanhóis.

Repetindo a boa atuação do time masculino na ginástica olímpica, as meninas encerraram a participação em todos os aparelhos à frente da potência chinesa. No fim, com um quarto lugar no geral, o Brasil garante presença na final por equipes. Destaque para as novatas Flávia Saraiva, a Flavinha, e Rebeca Andrade, que receberam as maiores notas. Flavinha conseguiu sua segunda melhor nota na carreira na trave, 15,133, pontuação que, no campeonato mundial, lhe asseguraria uma prata.

Ricardo Bufolin /CBG ginastica.jpg
Equipe feminina de ginástica olímpica se classificou com bons resultados; destaque para Flavinha (dir.)

A atuação apagada no judô foi constante no dia. Felipe Kitadai e Sarah Menezes, esperanças de medalhas, caíram sem alcançar o pódio. Também perdeu na disputa do bronze a judoca campeã pan-americana em sua categoria, Erika Miranda. Nas piscinas, o Time Brasil avançou, durante o dia, para finais, como do 4x100 livre e 100 metros costas masculino, com Guilherme Guido. Já Etiene Medeiros ficou fora da final na categoria feminina, especialidade de Guilherme.

O esgrimista Guilherme Toldo conseguiu a melhor atuação do país no esporte em toda história olímpica. Após vencer duros embates, incluindo campeões da categoria, Toldo perdeu nas quartas de final para o italiano Daniele Garozzo. Já as meninas do rugby, após derrota para o Canadá, passaram sem dificuldades pela Colômbia, com placar de 24 a 0. O handebol masculino surpreendeu positivamente, batendo a boa seleção da Polônia por 34 a 32.

Competem no fim deste segundo dia olímpico oficial, a tenista brasileira Teliana Pereira e o campeão de Rolland Garros nas duplas Bruno Soares. No torneio francês, Bruno subiu no posto mais alto do pódio em parceria com Jamie Murray, que joga as olimpíadas nas duplas com seu irmão, campeão de Wilbbledon, Andy Murray. Bruno fechou parceria com Marcelo Melo, que também é destaque no ranking das duplas na categoria. O futebol masculino encara o Iraque às 22h, tentando não repetir o resultado apagado que rendeu vaias à seleção na quinta-feira (4), no empate sem gols contra a África do Sul.