Você está aqui: Página Inicial / Esportes / 2012 / 03 / Relator diz que foi “enquadrado” sobre venda de bebidas alcoólicas em jogos da Copa

Relator diz que foi “enquadrado” sobre venda de bebidas alcoólicas em jogos da Copa

Vicente Candido queria liberação não apenas durante o mundial de futebol
por Ivan Richard, da Agência Brasil publicado 21/03/2012 15h03, última modificação 21/03/2012 18h23
Vicente Candido queria liberação não apenas durante o mundial de futebol

Brasília - O relator da Lei Geral da Copa, deputado Vicente Cândido (PT-SP), disse hoje (21) que discorda da decisão tomada ontem (20) pelos partidos da base aliada de retornar ao texto original enviado pelo Executivo quanto à liberação de bebidas alcoólicas durante os jogos.

"Acho muito ruim, mas fui enquadrado pelo meu partido, pela minha bancada e pelo governo. Acho muito ruim jogar isso de última hora para os estados, faltando um ano para a Copa das Confederações", disse ele, que é favorável à liberação de bebidas alcoólicas não apenas durante o Mundial.

Os deputados decidiram ontem suprimir do projeto o Artigo 29 que libera o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios. No lugar do artigo, será incluído o texto do acordo firmado pelo governo brasileiro com a Federação Internacional de Futebol (Fifa) que suspende o Item 13 do Estatuto do Torcedor. O dispositivo proíbe bebidas em estádios de futebol.

O relator da Lei Geral da Copa acrescentou que sua intenção era mudar o texto de forma a permitir a venda de bebidas nos estádios. "Minha intenção era liberar não só para a Copa, mas alterar o Estatuto do Torcedor, uniformizando a legislação dos estados tendo em vista o momento que vive o Brasil, com a construção das arenas multiuso”, disse. "Vai ser uma solução parcial e a Fifa vai ter de discutir com pelo menos sete estados", acrescentou.

Já o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, que visitou o gabinete de diversos senadores e também deputados da Comissão de Esportes da Câmara, mostrou-se confiante na aprovação da Lei Geral da Copa. "Tenho confiança total. Estou tranquilo. Vamos fazer uma grande Copa do Mundo", resumiu.