Você está aqui: Página Inicial / Cultura / 2018 / 02 / Carnaval de rua em São Paulo: confira a programação dos blocos do final de semana

FOLIA

Carnaval de rua em São Paulo: confira a programação dos blocos do final de semana

Cerca de 200 blocos sairão às ruas da capital, entre os quais Casa Comigo, Acadêmicos do Baixo Augusta e Monobloco
por Redação RBA publicado 02/02/2018 09h41, última modificação 02/02/2018 10h15
Cerca de 200 blocos sairão às ruas da capital, entre os quais Casa Comigo, Acadêmicos do Baixo Augusta e Monobloco
Luiz Guadagnoli/ Secom/ PMSP
blocos de rua sp.jpg

A maioria dos desfiles estão concentrados na região central e oeste da capital

São Paulo – O carnaval de rua em São Paulo começa neste sábado (3), dando início a uma programação (confira abaixo) que prevê desfile de 200 blocos somente neste fim de semana. A maioria dos desfiles está concentrada nas regiões centro e oeste da capital.

Três dos blocos que sairão nos dois dias costumam arrastar multidões a cada ano: no sábado, sairá o Casa Comigo, a partir das 11h, em Pinheiros, na zona oeste. No domingo, o Monobloco se concentra nas imediações do Parque do Ibirapuera, zona sul, enquanto o Acadêmicos do Baixo Augusta faz sua festa pelo centro, ambos a partir das 14h.

Alegria e política

O desfile do Acadêmicos do Baixo Augusta, que espera a companhia de um milhão de foliões, trará como tema "É proibido proibir", manifestando-se contra a ação de grupos conservadores contra manifestações em geral e artísticas em particular. Com o jornalista Marcelo Rubens Paiva de porta-estandarte, o bloco incluiu no desfile uma apresentação teatral inspirada na obra de Judith Butler – vítima de conservadores durante visita ao Brasil, no ano passado. 

O Baixo Augusta também terá dois convidados especiais: o cantor Simoninha, cantando Pra não Dizer que não Falei das Flores, de Geraldo Vandré, e a cantora Maria Rita, cantando Como Nossos Pais, de Belchior – canção que ficou eternizada na voz da mãe de Maria Rita, Elis Regina.

Ao final do desfile será realizado um ato para memorar os 50 anos da "geração rebelde" de 1968, relembrando a chamada Batalha da Maria Antônia, entre estudantes paulistanos, e a censura à canção de Vandré. 

Em entrevista ao Estadãoo diretor executivo do bloco, Alê Youssef, afirma que esse carnaval vem mais politizado que os anteriores. "Entre o carnaval passado e o que vem por aí, presenciamos absurdos que contrariam a própria identidade do Brasil que o carnaval representa (...) Houve também a proibição do show do Caetano Veloso na ocupação do MTST, entre vários outros acontecimentos, como as exposições de arte cerceadas; são elementos que farão do nosso carnaval uma manifestação política", afirmou.

Até o dia 18, 491 blocos deverão desfilar por São Paulo. Entre as prefeituras regionais, a da Sé continua a ter a maioria dos desfiles, seguida de Pinheiros e Vila Mariana.

Confira abaixo os horários e locais de concentração dos blocos que sairão em todas as regiões da cidade neste fim de semana:

 blocos_sp2018.jpg