Você está aqui: Página Inicial / Cultura / 2016 / 05 / Marcada por manifestações políticas, Virada Cultural 2016 é aprovada pela população

São Paulo

Marcada por manifestações políticas, Virada Cultural 2016 é aprovada pela população

Em diversos palcos, artistas e público se manifestaram contra o presidente interino Michel Temer. População deu nota 8,4 para a festa
por Redação da RBA publicado 23/05/2016 12h20, última modificação 01/06/2016 15h04
Em diversos palcos, artistas e público se manifestaram contra o presidente interino Michel Temer. População deu nota 8,4 para a festa
reprodução/Ocupe a democracia
Temer

Público acompanha show da Virada Cultural 2016 e protesta contra o presidente Michel Temer

São Paulo – Após comprar briga com a classe artística por conta da extinção do ministério da Cultura (MinC), mesmo tendo recuado da decisão e anunciado a recriação do MinC, o presidente provisório foi alvo de protestos de diversos artistas e do público que acompanhou as 700 atividades da programação da Virada Cultural 2016, ocorrida no último final de semana. Segundo levantamento da prefeitura de São Paulo, os frequentadores apontaram que a edição desse ano foi melhor que a de 2015.

O levantamento realizado pelo Observatório de Turismo e Eventos da São Paulo Turismo (SPTuris) apontou nota média de 8,4 tanto para o sábado (21) como para o domingo (22). No ano anterior, a avaliação do público foi de 8,2. A pesquisa também demonstrou assiduidade dos presentes, pois quase metade do público (47,5%) afirmou ter participado das festividades no ano anterior.

Brazil Photo Press ney
Ney Matogrosso abriu a Virada Cultural 2016

Com nomes de destaque como Ney Matogrosso, que abriu as apresentações, e Alcione, a escolha das atrações foi considerada boa ou excelente para 86,6% das pessoas. No sábado, Alcione foi uma das que se manifestou contra as mudanças e incertezas na pasta da Cultura do governo Temer, e também saudou a presidenta afastada Dilma Rousseff, no palco principal, localizado na Praça Júlio Prestes, região da Luz.

No dia seguinte, no palco dedicado às mulheres na Avenida São João, foi a vez das sambistas Teresa Cristina e Leci Brandão se manifestarem. Elas pediram por mais representatividade na política e se manifestaram contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Leci lembrou também da luta dos estudantes secundaristas contra o fechamento de salas e desvios na merenda e ainda entoou grito de 'Fora Temer', acompanhada pelo público. A participação feminina na Virada também cresce passando de 53,9% do público no ano passado para 56,5% em 2016.

Ocupe a democracia criolo
Com discurso político, Criolo foi um dos destaques

Em outro show marcado por intensas manifestações políticas, enquanto o rapper Criolo cantava, o telão exibia a mensagem "Temer jamais". Ele também manifestou apoio às ocupações de prédios ligados ao MinC, bem como as ocupações das escolas, exibindo faixa com a frase "Ocupa Tudo". O público também pediu pela desmilitarização da polícia.

Com atrações mais espalhadas pelos bairros, neste ano foi menor a concentração de pessoas na região central da cidade. Nem a prefeitura nem a PM divulgaram estimativa de público. Durante a Virada, a secretaria municipal de Saúde realizou 300 atendimentos. Equipes de limpeza coletaram 51 toneladas de resíduos nas ruas. A Guarda Municipal registrou apenas três ocorrências mais graves, envolvendo furto e agressão.