Você está aqui: Página Inicial / Cultura / 2014 / 09 / Marta anuncia 'Hoje eu quero voltar sozinho' para representar Brasil no Oscar

cinema

Marta anuncia 'Hoje eu quero voltar sozinho' para representar Brasil no Oscar

Longa é o primeiro de Daniel Ribeiro e mostra o romance entre um adolescente cego que descobre a sexualidade ao encontrar com seu colega de turma, em meio a desavenças com sua mãe
por EFE publicado 18/09/2014 17h47, última modificação 18/09/2014 18h27
Longa é o primeiro de Daniel Ribeiro e mostra o romance entre um adolescente cego que descobre a sexualidade ao encontrar com seu colega de turma, em meio a desavenças com sua mãe
facebook/divulgação
sozinho

Filme será analisado pela Academia de Hollywood, que selecionará cinco finalistas da categoria de filme estrangeiro

São Paulo – O filme Hoje eu quero voltar sozinho, do diretor Daniel Ribeiro, foi anunciado nesta quinta-feira (18) pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, como o escolhido entre outros 17 para representar o Brasil na disputa da categoria de "Melhor Filme Estrangeiro" no Oscar de 2015.

"Fico muito feliz com a indicação de um filme que tem sensibilidade ao tratar com delicadeza um tema universal como homossexualidade, que pode aproximar muito a gente dos jurados da academia", disse a ministra, durante o evento na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

Para Marta, o reconhecimento da produção brasileira tem aumentado porque os filmes nacionais têm explorado temas mais profundos e "universais", mostrando a qualidade do cinema nacional e deixando de lado "um Brasil clichê".

O longa-metragem é o primeiro de Daniel Ribeiro e mostra o romance entre um adolescente cego (Guilherme Lobo) que descobre a sexualidade ao encontrar com seu colega de turma interpretado por Fábio Audi, em meio a desavenças com sua mãe. A estreia mundial foi durante o Festival de Berlim, em fevereiro. A produção ganhou o prêmio de melhor longa com temática LGBT e o prêmio da Federação Internacional de Críticos de Cinema.

Agora, com essa indicação, o filme será analisado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, que selecionará cinco finalistas da categoria de filme estrangeiro. Os escolhidos serão anunciados em janeiro de 2015. O último filme brasileiro indicado ao Oscar foi Central do Brasil, em 1999.

Para o produtora do longa, Diana Almeida, "só a indicação brasileira já será um facilitador para a presença internacional do filme e do tema". Ele será lançado em Nova York e Los Angeles (EUA) no dia 7 de novembro.

Sobre essa presença internacional, a ministra da Cultura destaca que o "boom" do cinema no Brasil está acontecendo nos últimos anos graças à busca por uma "linguagem universal" e os incentivos de programas públicos e investimentos da Agência Nacional de Cinema (Ancine), por exemplo.

Segundo Marta, os programas de incentivo ao setor, como "Cinema Perto de Você", para manutenção e modernização das salas, auxiliam no aumento ao acesso a esse tipo de cultura.

"Filmes estão sendo vistos além das telas de cinema também, com o incremento da TV a cabo, o aumento das salas e o apoio da Ancine. Vemos uma repercussão no audiovisual para nos tornarmos uma grande potência nessa área. Vemos fome de produção cultural como (fome) das pessoas por acesso à cultura", apontou a ministra.

De acordo com a ministra, as regiões Nordeste e Centro Oeste apresentaram um crescimento de 14% e 13%, respectivamente, no número salas de cinema em 2014.

Para Jeferson De, um dos jurados que escolheu o longa, a trama mostra um novo momento do cinema brasileiro. "Ela retrata algo que acontece nas ruas com delicadeza e trilhas sonoras incríveis. O filme mostra a potência do cinema brasileiro (...) e sensibiliza o óbvio."

A 87ª edição do Oscar será em 22 de fevereiro.

Leia também: