Você está aqui: Página Inicial / Cultura / 2013 / 03 / Restos mortais de Pablo Neruda devem ser exumados em abril

Restos mortais de Pablo Neruda devem ser exumados em abril

Ordem da Justiça é para investigar as causas da morte do poeta chileno, em 1973, 12 dias após o golpe militar que derrubou o então presidente Salvador Allende
por Renata Giraldi, da Agência Brasil publicado 04/03/2013 18h04, última modificação 04/03/2013 18h25
Ordem da Justiça é para investigar as causas da morte do poeta chileno, em 1973, 12 dias após o golpe militar que derrubou o então presidente Salvador Allende

Brasília – Os restos mortais do poeta chileno Pablo Neruda, morto em 1973, deverão ser exumados em abril. A informação foi confirmada pelo advogado Eduardo Contreras, que representa o Partido Comunista Chileno, que recorreu à Justiça para a exumação. A ordem da Justiça é para investigar as causas da morte do poeta.

Prêmio Nobel de 1971, Neruda mantinha posições políticas de oposição ao governo militar. Ele morreu 12 dias após o golpe militar que derrubou o então presidente Salvador Allende. O governo Allende foi sucedido pelo do general Augusto Pinochet (1973-1990).

O juiz Mario Carroza, que é responsável pelo caso, deve anunciar a data da exumação na sexta-feira (8). A data, segundo especialistas, depende de uma definição entre o juiz, o advogado e representantes da Fundação Neruda e do Serviço Médico Legal.

Desde meados de 2011, está em curso uma investigação judicial sobre as causas da morte de Neruda. A investigação teve início a partir de uma queixa apresentada pelo Partido Comunista Chileno (o partido de Neruda) e depois que seu ex-motorista Manuel Araya denunciou que o poeta foi assassinado com uma injeção letal por ordem de integrantes do regime militar.

Pela versão oficial, Neruda morreu aos 69 anos em decorrência de um câncer na próstata. Neruda foi enterrado ao lado de sua terceira mulher, Matilde Urrutia, no pátio de sua casa em Isla Negra, no litoral do Chile, a 129 quilômetros de Santiago, a capital do país, que foi transformada em museu.

A Fundação Pablo Neruda se colocou à disposição para colaborar com a pesquisa de Carroza e informou confiar que a perícia será conduzida com o maior respeito e cuidado possível.

 

registrado em: ,