Eleições 2018

Pesquisa CUT/Vox Populi: Haddad lidera entre mulheres e mais pobres

Segundo o levantamento, no voto estimulado petista tem 42% contra 36% do segmento feminino, perdendo entre os homens por 53% a 35%

Erick Dau-Farpa-Folhapress/Ricardo Stuckert
vox populi haddad e bolsonaro

Vantagem maior entre os homens garante liderança da pesquisa a Bolsonaro

São Paulo – De acordo com pesquisa feita pelo instituto Vox Populi e divulgada na manhã desta sexta-feira (19), o candidato do PT a presidente da República, Fernando Haddad lidera entre as mulheres. Segundo o levantamento, no voto estimulado ele tem 42% contra 36% do total. Entre os homens, a vantagem de Bolsonaro é de 18 pontos: 53% a 35%.

O petista também supera o candidato do PSL entre os eleitores que possuem até o ensino fundamental, por 44% a 38%. Também vence entre aqueles que têm renda familiar até dois salários mínimos (45% a 37%). Bolsonaro tem 52% no segmento dos que ganham mais de cinco salários mínimos, contra 34% de Haddad, e 50% entre os eleitores com curso superior, contra 36% do candidato do PT.

Jair Bolsonaro vence também entre os que se declararam brancos, 53% a 32%, enquanto Haddad supera o adversário por 49% a 32% entre os autodeclarados negros. Há empate técnico entre os pardos, com 41% para o presidenciável do PSL e 40% para o petista.

Também há empate técnico dos dois candidatos entre os católicos, com o capitão reformado aparecendo com 43% contra 42% do ex-prefeito de São Paulo. A liderança é folgada para Bolsonaro entre os evangélicos, 52% a 30%, sendo reduzida entre os espíritas, 44% a 38%. No segmento daqueles que escolhem outras religiões, Haddad vence por 48% a 33%, tendo vantagem também entre aqueles que declaram não ter religião, 42% a 29%.

O levantamento foi realizado nos dias 16 e 17 de outubro, antes da publicação das denúncias envolvendo a prática de crime eleitoral da campanha de Bolsonaro, divulgadas em matéria do jornal Folha de S. Paulo, por meio do financiamento empresarial à distribuição defake news via listas de WhatsApp.

Leia também

Últimas notícias