Pela democracia

Paulinho da Viola apoia Haddad: ‘Não podemos pensar futuro sem valores básicos’

Cantor e compositor defendeu voto no candidato do PT em rede social. A menos de 24 horas da eleição, artistas como Maria Bethânia e jornalista Marcelo Tas também declararam oposição a Bolsonaro

Divulgação
Maria Bethânia

Maria Bethânia declarou apoio a chapa Haddad e Manuela em nome de familiares e amigos forçados ao exílio pela ditadura

São Paulo – Diante da mobilização que vem ocorrendo pelo Brasil em apoio ao candidato a presidente da República Fernando Haddad (PT), o cantor e compositor Paulinho da Viola também manifestou em sua rede social, neste sábado (27), em defesa pela eleição do petista. Para o artista, é inaceitável que a sociedade legitime a tortura e o desrespeito a mulheres, negros, gays, nordestinos e pobres, ameaçados por Jair Bolsonaro (PSL).

O cantor lembrou ainda a frase do candidato da extrema direita que, ao se referir ao peso de um quilombola, utilizou uma unidade de medida usada para gados. “Negro não se mede em arroba, se mede em batuques, versos, melodias, pinturas e livros, apenas para ficar no mundo das artes”, ressaltou Paulinho da Viola.

Ainda nesta tarde, a cantora Maria Bethânia, acompanhada da também cantora Mart’nália, postou em suas redes sociais fotos vestindo uma camisa de apoio à chapa Haddad e Manuela (PCdoB) e declarou seu voto em nome de “Thereza Aragão, Violeta Arraes, meu pai, meu irmão (Caetano) e todos os meus amigos que foram exilados”, escreveu a artista.  

O jornalista Marcelo Tas, um dos apoiadores do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) e também conhecido pelas críticas ao Partido dos Trabalhadores, posicionou-se, bem como outros artistas e intelectuais, a favor de Haddad. “Declaro o meu apreço pela democracia, pela educação, pela questão ambiental e liberdades individuais. Estes são os valores principais que me levam a reprovar as propostas do candidato Bolsonaro”, defendeu o jornalista.