Fora do controle

Bolsonaro vacila diante da violência de seus apoiadores

Em vez de repudiar expressamente os crimes cometidos por seus eleitores, candidato limitou-se a 'dispensar' o voto deles e também afirmou não ter 'controle' sobre os atos violentos que cometem

Fernando Frazão/Agencia Brasil
Bolsonaro

Bolsonaro sugere que seus apoiadores violentos ‘votem nulo’ ou ‘na oposição’, disparando mais uma provocação

São Paulo – O candidato a presidente Jair Bolsonaro se posicionou de maneira vacilante diante da crescente onda de violência praticada por seus apoiadores, que já resultou em uma morte. Em mensagem no Twitter nesta quarta-feira (10), o capitão reformado limitou-se a dizer que “dispensa” o voto e a aproximação de “quem pratica a violência contra eleitores que não votam em mim”. 

eleições bolsonaro

Ele sugere que seus apoiadores “votem nulo” ou “na oposição”, disparando mais uma provocação e cobra que as autoridades “tomem as medidas cabíveis”, sem se referir diretamente ao assassinato do mestre de capoeira Moa do Catendê em Salvador, horas depois de encerrado o pleito do último domingo (7). 

Na terça-feira, quando foi perguntado por jornalistas especificamente sobre o assassinato do mestre Moa, Bolsonaro disse tratar-se de “caso isolado”. Ele lamentou o homicídio, mas disse não ter controle sobre a onda de ódio movida por seus seus apoiadores. “Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso, mas eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”.

Ele repetiu a tática de responzabilizar seus opositores e alegou que a violência e a intolerância “vêm do outro lado”.